BEIJO GAY NA NOVELA… PRA QUE?

Estava eu no meu programinha de domingo atrasado no tempo por um dia, ou seja, estava eu na segunda-feira fazendo minha obrigação de pai separado, jantando com meu filho em um rodízio de pizza. Acima de mim havia um daqueles monstros intrusos que sem respeitar invadem seu campo de visão e o obrigam a prestar atenção em uma deturpação do que se tornou a realidade. O aparelho de televisão. Este intruso roubou o meu jantar, sentou-se na minha mesa e vomitou uma novela. A das 8. Nela havia um casal entrando num motel. No caso, o motorista e a patroa (Aline Moraes). Muito bem… até aí, nada. Mas a coisa foi esquentando. Ela reclama da espelunca do motel e diz num tom sarcástico que é melhor assim mesmo, pelo visto numa alusão à atração pelo que é do povo. Ele faz a linha bronco-cafajeste, que está se dando bem em papar a patroa. A cena fica cada vez mais erótica. Ela o manda beijar suas botas, numa cena explícita de sessão mestre-escravo, ele se abaixa e obedece. Ela reclama de seu suor, obviamente querendo dizer o contrário. Ela era a vadia rica que queria sentir a fúria sexual do proletariado. Bacana, ousado. Eles discutem, ela dá um tapa na cara dele, mais sado-masô. Numa referência óbvia ao prazer de um sexo violento. Se beijam e vão transar.
Meu ponto é o seguinte: Vivemos numa sociedade que se diz protetora da moral e bons costumes. Protegemos nossas crianças de tais cenas na TV. Correto? Acho que não! Acho que esse argumento só serve quando é um casal gay. Imagina a cara de todos, se fosse um casal gay fazendo isso na mesma novela, no mesmo horário! Me sinto insultado e revoltado quando este pensamento me abate. Exponho meu argumento ao meu filho que já está com 16 anos, ele concorda contradizendo que não teria pensado nisso, e diz: “É mesmo, né?”. Se eu me encontro nessa situação de explicá-lo, por que um pai heterosexual não pode fazer o mesmo com seu filho? Minha vontade é de entrar naquele monstro e dar um “chupão” no primeiro galã que contracenar comigo. Sou louco? É o caralho! Então não me venha com essa de que somos uma sociedade que aceita as diferenças… Não aceita mesmo! Sempre ouço as pessoas me dizendo: “AHHH! Mas hoje em dia tá bom pra vocês.” Ta bom é o caralho! Se eu sou obrigado a ver uma cena dessas entre um casal hetero, todos também devem ser obrigados a ver isso de um casal gay. Ponto final! Não tem meio termo. Não dá mais pra ter. Quero igualdade. É pedir demais? E não me venha com esse papo de: “ E as crianças… Precisamos proteger as crianças…”. E por que essas crianças não são protegidas quando vai ao ar uma cena como a que descrevi? É “normal” então apanhar na cara e trepar com o motorista? Os personagens das novelas podem matar, roubar, conspirar, trair e ninguém reclama. Mas vai dar um beijo gay! A discussão vai parar no Senado. Lembram do casal de uma novela com o Bruno Gagliasso e um cowboy?
Não é possível que não consigamos enxergam a disparidade dessa discriminação explícita. E quanto ao argumento das crianças eu digo o seguinte: E as crianças gays? Não precisam de um espelho, uma referência? O maior índice de suicídio infantil é entre crianças gays. Se a sociedade não se importa e pensa que é menos um gay na face da terra, eu me importo, pois podia ser eu. E digo mais, não tem proteção que evite uma criança gay de ser gay quando crescer. Que seja logo, desde pequeno, e seja respeitada e criada como um ser humano comum, sem regalias, sem privilégios, mas com dignidade, respeito, como é devido a toda criança. Temos que entender de uma vez por todas que ser gay não pode ser um castigo nem para a criança nem para os pais. É uma característica do indivíduo, igual a nascer de olhos azuis ou ruivo. Não dá mais para esperar que a sociedade se adapte à visão de um casal gay beijando. Ela tem que ser atochada goela a dentro da população. E o melhor meio seria numa novela da Globo. Porque se aparece na novela o povo pensa que é normal, se não aparece, pronto, é proibido! Não apareceu, portanto…
Sócrates morreu tentando convencer as pessoas a pensarem com suas próprias cabeças, não quero morrer por isso não, mas pelo menos você que chegou até aqui e leu isso, por favor, pense com a sua!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in beijo gay. Bookmark the permalink.

3 Responses to BEIJO GAY NA NOVELA… PRA QUE?

  1. Mateus says:

    Concordo e assino em baixo, o argumento acerta em cheio quem o lê, não tem como não pensar depois que o lê, tampouco não concordar…

  2. Bryan says:

    Nossa pai, concordo 100% com seus argumentos, principalmente com o fato de uma criança q nasce gay, ñ passa de uma criança como outra qualquer e assim deveria ser tratada como tal.Tmbm assino em baixo!Beijos Paizão, te amo eternamente!

  3. Rodrigo says:

    O problema é que muitas pessoas já nascem com a intolerância. Pedir para pensar com a sua(na 3 pessoa aqui…rs) cabeça é complicado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *