Papai é gay, meu filho. (Repostagem do meu texto inaugural)

Como falar essa frase? Como alguém pode explicar algo tão complexo como a sexualidade humana a uma criança de 8 anos? Essas perguntas precisavam de uma resposta e eu era a pessoa certa para repondê-las. Eu, no auge da minha luta por dignidade e igualdade, cheio de sonhos por um mundo melhor… Quem melhor do que eu, aos 34 anos, para encenar essa situação, tão típica das novelas das oito? Eu tinha respostas para todas as questões gays do momento. Tudo era tão simples: eu era gay, já tinha me assumido para a família, para os amigos, para a sociedade, para o porteiro, para o cachorro, papagaio, as paredes, o vermelho… e a ansiedade começou a tomar conta de mim. Como contar para o meu filho? E se ele me odiar? E se ele virar viado por isso? E se…? Um milhão de hipóteses se estapeiam para ser a escolhida da vez. Mas eu não me abalo, afinal, eu enfrentei ex-mulher, pai , mãe, periquito, porteiro, a cor vermelha…

Era uma tarde diferente, era uma tarde planejada, preparada para o teatro. Havia barulhos inquietantes, sons de patadas no paralelepípedo. Estávamos em Petrópolis, havia um ar de realeza na cidade que de certa forma legitimava as conversas; um certo clima de arrogância real que nessas horas se faz imprescindível. Precisava ser forte, ter uma postura de pai. Olhei para os olhos azuis da minha cria e me senti em paz, sem culpa. Começo o diálogo:

-“Você acha que sua mãe pensa que eu sou gay?” pergunto tentando um link com o tão proibido assunto.

-“Acho que sim pai, ela veio me perguntar se eu achava.” responde inocentemente meu filho.

-“E se o papai fosse gay? Teria problema?”

-“Não pai, claro que não.”

Eu me encho de orgulho de ter gerado uma criança tão sem preconceitos, tão bem educada ao ponto de entender que as pessoas têm o direito de ser o que são, que não me contenho e como uma lança atiro a verdade em cima do garoto.

-“Pois o papai é gay. “

silêncio

Seus lindos olhos azuis que antes me acalmavam como um oceano, passam a me inquietar quando deles brotam lágrimas de pura emoção. Me apavoro, perco o controle da situação, derrapo na curva, forço o volante e pergunto:

-“Porque você ta chorando meu filho?”

Sem pestanejar ele diz:

-“Porque vão te sacanear papai.”

Preciso comentar essa resposta dele: Existe algo mais puro do que isso? Nossas mentes podres de adulto jamais criariam a hipótese dele pensar em me defender. Ele era a criança. Quem precisa ser defendido é ele!!! Não, sua preocupação era legítima, pura, de uma criança que não foi ainda bombardeada pelos amigos, pela mídia e pela sociedade. Ele não teve tempo de ter o preconceito enraizado na sua alma. Não ficou chocado, não ficou decepcionado, nada! Ficou preocupado em me defender, em me poupar de virar chacota. Nunca tinha ouvido palavras tão lindas de uma criança. Me recuperei e perguntei:

– “Alguém me sacaneia agora? “

-“Não.” respondeu ele.

-“Então… todo mundo sabe, menos você.”

-“E porque você não me contou antes?”

-Porque já é antes. Você só tem 8 anos!

Bem, estou relatando uma das passagens mais intensas da minha vida. Desde então nunca ouvi uma palavra dele que não fosse para me dar força. Ele já está com 14 anos e continua sendo um amigo, filho e colega maravilhoso. Conto isso para acalmar pais que estão na mesma situação em que eu estive e dou um conselho: Conte durante a infância. Na adolescência o preconceito pode já ter corroído a pureza necessária para um filho entender isso de um pai. Boa sorte!

Obs: Esse post é de 14/03/2006, mas só agora, depois de 2 (agora 4) anos, resolvi divulgar esse blog. Por isso apaguei e o repeti aqui hoje. Nesses 2 anos só o havia mostrado para o meu filho e alguns amigos muito íntimos…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in amor, assumir, filho, gay, homofobia, pai gay, preconceito. Bookmark the permalink.

36 Responses to Papai é gay, meu filho. (Repostagem do meu texto inaugural)

  1. Rodrigo says:

    Confesso que me emocionei.Sonho em ter um filho(Não importa como: adotado,inseminação,com uma amiga,etc),mas todo santo dia penso nos empecilhos sociais. Acho que isso me deu forças.Meus parabéns,caro papai!Estou mto feliz por vc,por mais que a notícia seja antiga.

  2. Edu e Mau says:

    Emocionante mesmo! Que bom que repostou para eu poder ter tido essa experiência agora. Lindo!P.S.: O Casado(i)s já fechou, estamos em novo endereço.

  3. Edu e Mau says:

    ops, faltou o endereço:pampublikong.blogspot.com

  4. Amílcar Cerqu says:

    nossa, passei mal com essa história.não consigo imaginar uma familia equilibrada e individuos completamente formados com uma infra-estrutura desse tipo.

  5. Papai Gay says:

    Amilcar! Você realmente não merece nem ler essa história! Passar mal? Passou mal com o que? Com o fato de uma criança ser mil vezes mais preparada para o mundo do que você??? É incrível alguém escrever um comentário tão exdruxulo quanto o seu. Tenho pena dos teus filhos, isso se você os tiver um dia. Como assim? Não consegue imaginar um filho aceitar um pai gay? Volta pra idade média então. Nossa você realmente é medíocre…

  6. Leco Vilela says:

    passei por uma situação parecida, quando me assumi pro meu irmão mais novo na época com 9 anos de idade e hoje com 12. Lembro que ele não entendia bem o que era e eu mostrei fotos de dois homens se beijando, ai ele olhou pra mim e disse "Leo, posso pegar Yakut?" … e saiu andando… já apresentei 2 ex namorados pra familia e ele se divertia com a gente. Te entendo quando diz ser assumido até pra papagaio. hehehe sou assim também.

  7. Wans says:

    Acredita que eu tô lendo esse post só hoje? Tô aqui com lágrimas nos olhos e feliz pela sua conquista e pela realização.Parabéns, bj.

  8. Paulo Braccini says:

    parabéns pela coragem e pelo respeito consigo e com seu filho … isto sim é SER homem …bjux;-)

  9. marcelle says:

    Tenho 20 anos, me casei aos 18, ainda ñ tenho filhos, e tenho orgulho do seu filho mesmo sem conhecer pessoalmente! Sou sem preconceito amo homens e mulheres! E quero ter filhos livres e q entendam isso tbem!! O mundo é nosso!! Toda forma d amor é bem vinda sempree!! O mundo é gay!

  10. Núcleo de Eco says:

    OláTenho 52 anos, sou gay assumido desde que entendi qual era minha situação, isso deve ter ocorrido lá pelos meus 16 anos cheguei para a família e pronto eis me aqui até hoje, não tive filhos e nunca fui casado, porém conheço muitos casais gays que tiveram seus filhos próprios ou adotaram e saibam que em nenhum dos que eu conheço houve um caso de homosexualidade entre os filhos, bom pelo menos até o momento, isso indica que a homosexualidade não é uma opção delineada por outras é algo da própria pessoa. Particularmente não gosto do termo opção, pois sugere escolha, eu não escolhi ser gay, sempre fui, gosto mais mais da genética perfeita, rsrsrs. Sejam felizes.

  11. Allan says:

    Isso é um exemplo claro de Amor condicional.Não tive a sorte de meu pai me compreender, mas espero que meu filho, assim como o seu, tenha essa capacidade de amar sem barreiras. parabens ao pai e ao filho. dois grandes homens.tenho textos dedicados ao meu amor que é homem, <a href="http://www.edadicilpitlum.blogspot.com.www.edadicilpitlum.blogspot.com.<br />grande abraço

  12. lv says:

    Isto é falta de Deus no coração, se entregar a mundiça

  13. Papai Gay says:

    Para Iv acima: Concordo que é muita falta de Deus, mas no SEU coração!!!!!!!!!!!Como pode alguém ler esse post e escrever o que você escreveu!!!! E o que é "mundiça"? Vai aprender português antes de escrever em blogs alheios!

  14. tina says:

    Maravilhoso !!! abaixo ao preconceito – somos todos iguais

  15. Anonymous says:

    Acordar pela manhã e ler esse blog hoje, para mim, foi muito bom. Meu dia ficou melhor. Parabéns pela coragem, fé, e por viver a vida com alegria.De fato, existe amor nessas famílias e isso é equilíbrio e estrutura que muitas famílias tradicionais não possuem. Ou será que todos os lares do Brasil formados por homem, mulher e filhos são famílias equilibradas e estruturadas simplesmente por ter esta formação? É ingênuo pensar assim, para não dizer pouco inteligente.Bom, sem mais comentários, desejo felicidades, e parabenizo pela iniciativa.

  16. Flor says:

    Emocionante, parabéns!Não sou gay, mas convivo com alguns.Sonho com o dia em que vamos pensar: "nossa, como nossa sociedade era ultrapassada… Imagine! Julgar as pessoas pela opção sexual? Que demodê."

  17. Bon Appétit says:

    Sabe, se eu fosse você, não perderia tempo respondendo a recados inúteis. Mas, eu lhe entendo. E olha, eu gostei da tua postagem. O que importa mesmo, é teu filho. Se ele já aceitou, ninguém mais pode se meter na tua vida. Sâo dessas pessoas que o nosso planeta precisa. Meus Parabéns! Um abraço de urso e um beijo. :)

  18. Alessandra says:

    Parabéns. Sua história me emocionou. Digno, sensato e verdadeiro. Beijos e sucesso, sempre!

  19. Ricardo says:

    Faço de alguns minhas palavras! Fico muito feliz de ver não somente filhos abrindo seus corações para os pais, mais o outro lado também fazendo de tudo para restabelecer a grandiosidade dos laços familiares que a muito em função do nosso cotidiano vem perdendo suas características mais humanas, amor acima de tudo, amor incondicional.Parabéns a você dois, iniciativas como essas são provas de que pensar globalmente é importante mais agir localmente é o que muda o mundo e transforma a consciência humana. “Quer mudar o pensamento de alguém? Primeiro começe mudando verdadeiramente o seu.”Sou Brasileiro, 22 anos, estudante do ultimo ano de Biologia, gay e ASSUMIDO, felizmente meus pais aceitam e respeitam acima de tudo, e esse sentimento RESPEITO é o que tem faltado na conduta da sociedade. Desenvolvo um trabalho de capacitação com professores de escola publicas, visando prepará-los para conhecer a homossexualidade e torná-los aptos a orientar os alunos (sexualidade) sem imprimir posicionamentos preconceituosos inibindo a postura discriminatória desde o começo (BULLING). Escola é lugar de aprender matemática, português, ciências, mais acima de tudo é um lugar onde se deve aprender a ser humano. Pais e professores, unidos podem formar uma vertente poderosa de modificação do pensamento humano.Peço desculpa pelo longo comentário… E gostaria de agradecer pelo post acima, agradecer com professor e como pai que um dia sei que serei… Espero ser-lo ao menos parecido com você.Luiz Ricardo Mesquita

  20. Anonymous says:

    Paulo -São Paulo Sinceramente,seu filho é um orgulho para você,pra mim ele também é . Sou heterosexual,perdi minha esposa por puro preconceito meu,(ela é Bi),agora quase dois anos depois ,confesso que a amo e sempre amei ela ,mesmo ela sendo "inversa"aos meu "principios". Meus "principios",que me levou para longe a minha felicidade,e me fez pecar tantas vezes por preconceito. Se eu pudesse voltar no tempo ,eu voltaria e faria tudo diferente . Hoje na minha concepção de vida e religião, eu prefiro o amor ,a paixão ,ao invés da rejeição . Na hora em que ela mais precisou de mim,eu rejeitei seu amor,agora só me resta dor,pavor…Dor por não ter mais ela junto de mim por preconceito que eu tive ,e pavor por esse preconceito idiota que estou sendo a vitima maior. Amigo adorei seu blog ,li a matéria no ig e achei demais ,queria eu ter sido igual ao seu filho,assim estaria mais feliz ,e de consciência tranquila. Desculpa por ter sido melancólico demais ,pois é esse o preço que estou pagando pelo meu preconceito! Torço muito pela vossa felicidade .Abraço

  21. Ricardo says:

    Confiram no meu blog, fiz um Post sobre essa matéria la.Abraçoshttp://mesquitta.blogspot.com/

  22. Eliton Leite da Silv says:

    Nuss.. que lindo isso… essas coisas que nos dão força e coragem a enfretar uma sociedade tão incognita. BJuxx amei… me add no msn que tc galera.. eliton_lpe@hotmail.com

  23. Aisy says:

    Poxa fiquei sem palavras =] OTIMA MATERIA! Eu não tenho filhos mais gostaria de dizer aos meus pais que namoro uma menina,ainda me falta coragem! Seria facil se os pais aceitacem !

  24. Anonymous says:

    Eu estava precisando disso, preciso unir forças para contar aos meus 3 filhos (8,6,3) todos meninos, está sendo difícil pra mim, contei pra mãe deles e ela é muito minha amiga. Mas vivem com ela, e as pessoas que convivem com ela, são medíocres, soltam muitas piadinhas, e isso polui as mentes dos meus amados filhos. Neste momento estou com os olhos lacrimosos, com dor. Mas sei que isso será superado, tenho medo que me odeiem. Você é um cara de sorte, seu filho já estava preparado pra isso. Quando eu era casado eu amadurecia neles a visão de que pessoas podem ter vidas conjugal independente de sexo. Mas nem sempre estou com eles, mas quando tenho a oportunidade de ensinar a eles, eu os ensino olhando nos olhos. Abraços.

  25. Papai Gay says:

    Caro anônimo acima, foi pra vc que fiz esse post!!! Só esse seu relato já vale manter o blog! Você não está sozinho nessa situação. E conte já! Para todos, ao mesmo tempo, conversinha bacana de um dia de domingo. Claro, converse antes com sua ex-mulher para que ela possa dar continuidade às perguntinhas que seguem. Leve eles para uma viagem! Conte no primeiro dia e passe os outros explicando… rs

  26. Camila says:

    Parabéns!Para mim, as pessoas que tem atitudes como a sua, são pessoas de extrema personalidade! Tem que haver muita coragem e muito caráter para isso.Coisa que pelo que vejo, você tem de sobra!Fico muito feliz, por ainda existir pessoas HUMANAS como você.BeijosAtenciosamente;Camilacazinhah@gmail.com

  27. eddy says:

    gostaria de ter conhecido este blog antes. nao teria sofrido tanto pensando que era unico pai gay. tenho 44 anos fui casado, 15anos e tenho 2 filhos de viven com a mae em brasil minha historia é similar a tua era cheia de peconseito e o maior era o meu.este ano estive no brasil e contei para ex. e disse que contaris p/ eles me aconcelhou que contace p/o maios com 18anos. foi difecel mas contei ele alhou para mi de disse pai voce e felis, sim. o importante que vc esteja felis te amo igual. ele ainda nao conheceu meu conpanheiro,mas senpre que nosso falamos manda un abraço. para o pequeno de 14anos contarei cuando voltar al brasil outra vez. desculpeme las erros vivo na españa e escrevo falal Abraço

  28. Anderson says:

    Meus Parabéns pelo Blog e por entender seu Pai, eu Sou Homossexual tbm, tenho 21 anos e nunca assumi isso. Mais tenho namorado…Que Deus Abençoe todos…Abração…

  29. Anonymous says:

    Eu tenho 22 anos e tenho um filho de quase 3 vida cada dia pensando no dia que vou ter que contar a ele que sou gay…Essas suas palavras me deram muita força e a coragem necessaria para fazer, nahorar certa ( que tbm concordo que seja feito na infância)…Ps.: lágrimas ainda rolão no meu rosto.

  30. adam says:

    parabéns cara.. você soube educar seus filhos e mostrá-los que todos somos iguais.. diferentes de gostos ou manias.. somos filhos de deus.

  31. Gustavo says:

    Parabens por vc ter um filho bem educado e sem preconseito.
    Eu so bi sexual e tbm quero ter um filho que me respeite e respeite a opçao de outras pessoas

    obs: desculpa pelos erros de portugues mas e assim que eu escrevo :)

  32. Carioca says:

    Impressionante,

    realmente seu filho é uma criança dotada de muita pureza.

    Agora … a minha situação é complicada … eu suspeito , pois tenho alguns elementos que meu pai é gay.

    Porém eu tambem sou , a questão que me magoa não é ele ser gay, ao contrario, é ele sempre ter me reprimido de forma tão austera o que hoje em dia me dificulta me relacionar … e ele no bem e bom com o namorado ou suposto namorado.

    Até entendo que ele possa ter tentado me defender … mas porque ele não joga limpo hoje em dia que sou um adulto?

    • admin says:

      Realmente, essa é uma situação atípica! Mas, como nós todos sabemos muitos homofóbicos são na verdade gays que não conseguem lidar com esse desejo, espero que você se entenda com o seu pai, e que vocês ainda possam curtir várias noitadas gays por ai…

    • Jefferson says:

      Caro, sou gay tenho uma desconfiança de que um dos meus filhos seja gay. Acredito que não sou tão austero quanto seu pai, mas dentre as justificativas para o comportamento dele estão:
      1ª – Ele ter sofrido preconceito, rejeição, perdido oportunidades de emprego e afins. Por isso ele não quer que você passe pelo mesmo (daí a repressão). (Não estou dizendo que é o correto, mas é uma suposição)
      2ª – Medo de que ele perca seu amor
      3ª- Medo de que você não o respeite mais como pai, homem, etc. (embora uma coisa em nada interfira na outra)

      Esses itens elencados por mim permeiam minha cabeça também. Vivo um conflito diário por isso. Acredite: seu pai lhe ama e quer o melhor para você, mas estamos tão imersos numa sociedade preconceituosa que nos esquecemos de viver para nós e para quem amamos. Abraços

  33. Michelle says:

    Super atrasada, percebo, mas o que vale é a leitura. Me emocionei muito. contei para a minha filha quando ela tinha três anos e meio. O pai dela me ajudou muito na época. Hoje nós vivemos juntas: eu, ela(com seis anos) e minha esposa. Uma família feliz! Obrigada pelo depoimento

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *