Páscoa "from hell".

Pode ser natal, aniversário, casamento, enterro, chá de bebê, domingão da família, o que for, mas sempre tem confusão quando se reúne a família. Essas datas estão dando no meu saco. Os membros da família não se encontram porque estavam com saudades uns dos outros e sim pela obrigação de cumprirem com seus deveres quanto à política de “boa vizinhança” familiar. Às vezes não estamos nem um pouquinho a fim de rever aquele irmão preconceituoso ou o enteado intolerante, mas lá estamos nós com nossas máscaras sociais, sorrindo e criando assuntos para que o silêncio constrangedor não arruíne a celebração.
 

Hoje foi a vez da Páscoa. Que diabos se comemora na Páscoa? A industria do consumo já desvirtuou tanto essa data que só me lembro de ovos de chocolates e coelhos. Sendo que coelhos nem botam ovos! Olha o poder do marketing aí gente! Me parece que a comemoração tem a ver com transformação e vida, o coelho e sua capacidade de procriar infinitamente propõe a multiplicidade e o ovo a vida, sendo assim o que se celebra é a multiplicação da vida, sua transformação e superação. Se for isso minha Páscoa foi um fiasco.
 

Família toda reunida, toda que eu digo é meu irmão e seus 4 filhos, agregados, mãe e cia. Bom, como sempre, conversa vem, conversa vai e o assunto esbarra no tema do homossexualismo. Estava eu contando que recebi alguns comentários neste blog dizendo que o homossexualismo era uma possessão demoníaca quando fui interrompido pelo troglodita “a la Dourado” do meu irmão:

-Mas você está possuído mesmo, pela vara no teu rabo!

Finjo que não escutei, continuo, mas como pessoas desse tipo não te deixam em paz até te tirarem do sério, ele continua:

-Você só sabe falar da sua sexualidade, sai por aí com uma camisa dizendo “Sou viado”.
 
Ah! Pra que! Começou um bate boca horrível esquentando tanto a minha cabeça que não consigo reproduzi-lo aqui. O que interessa disso é que finalmente, se eu tiver vergonha na cara, excluirei da minha vida a pessoa que mais me fez mal. Desde que me lembro por gente esse cara me xinga e me bate por ser gay. Mesmo quando não havia me assumido ele era o primeiro a me xingar de viadinho. A vida toda isso, agora cheguei no meu limite, falei que não precisava me cumprimentar mais, nem ao menos falar comigo, pois não tinha mais irmão. Sinto que é a coisa certa. Pra que insistir em conviver com um ser que já tem 46 anos e ainda não consegue lidar com isso? Me retirei, fui embora e me decidi. Na minha vida só tem espaço pra quem me respeita. Saí de lá escutando ele me xingando de viadinho e por incrível que pareça minha mãe me ligou dizendo que ele não sabia porque eu tinha ficado tão “ofendidinho e nervosinho” . Não será eu que vai explicar pra ele!

Pelo visto minha celebração da diversidade da vida deu em preconceito e perpetuação da vida como ele está, ou seja, uma mentalidade atrasada e arcaica que não faz questão nenhuma de aceitar as diferenças. Comemorar o que? Melhor deixar o coelho quieto em casa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in homofobia, Pensamentos, preconceito. Bookmark the permalink.

11 Responses to Páscoa "from hell".

  1. Leandro says:

    lamentavel! eu tbm nao gosto destas reunioes recheadas de muita falsidade eu nao suporto esta piadinhas sem graças pq na opiniao deles nós temos que sempre levar na esportiva, mas ate que a situação inverter. infelizmente me tornei em uma especia de dr. house em relação a minha familia. eu te apoio pq viver com alguem que o unico intuito eh lhe fazer sentir pessimo, entao melhor a distancia. em relação a pascoa a minha foi pobre nao posso dizer pauperrima mais foi fraquissima. ps: eu ja tive coelhino qnd era criança (e nao faz muito tempo) e nunca botaram ovos muito menos de pascoa :( me senti enganado ate hj.

  2. Clebs says:

    Uma pena a relação com o seu irmão ser tão tempestuosa…Ao que parece seria a mesma coisa se vc fosse hetero. Então, por mais dolorido que possa parecer, acho que vc está certo…Irmão, mãe, pai, tios, não importa o grau, se não existe o mínimo de respeito (e quando o assunto é família, existe respeito sim!) não dá para engolir… sem respeito, nenhuma família se sustenta.É esperar que uma hora ele abrirá os olhos… e torcer para que não seja tarde demais.Abraço.

  3. Carlos Alexandre Nev says:

    Querido,Como demorei a conhecer seu blog. Gostei muito, mesmo!Que páscoa danada!!!Pena que você tenha perdido a paciência com seu irmão. Você perdeu uma grande oportunidade de entrar no assunto de forma mais proveitosa. De fato, alguém que se ATREVE a lhe dizer "Mas você está possuído mesmo, pela vara no teu rabo!", significa que não possui o menor respeito por você. Se ele tem problema com o assunto, que ele se trate. O problema é dele e não seu.É um direito seu falar do assunto que lhe convém, assim como ele de não querer compartilhar, no entanto, respeito é imprescindível, para ambos.Se me permite palpitar, parece que sua família, incluindo você, compartilha de um modus operandi não muito saudável. Todos se ofendem, alguns explicitamente e todos sob alguma justificativa.Que tal impor o respeito, seja em qual discussão for, como condição sine qua non para qualquer diálogo? Existem pessoas que possuem asco aos gays, se é o caso do seu irmão, acho que seria o caso de você, nestes momentos de rompantes, perguntá-lo de forma direta e objetiva sobre isto. Se ele tiver coragem de confirmar, que cesse a relação, pois você evidentemente não irá mudar sua vida por causa dele. Se não for o motivo (repulsa), então cabe a voces descobrirem o que tá pegando, mas independente de qualquer coisa, lembrando a ele e TODOS, inclusive sua mãe, que esta falta de respeito é intolerável e que você não aceitará ou compactuará com isto. É um limite a ser imposto a todos que depende precipuamente de você.Porque será que afeta tanto ele a sua orientação sexual?Acho muito bacana você compartilhar algo pessoal aqui, pois obviamente todos nós passamos por algo semelhante.Beijos e parabéns pelo seu blog.Carlos Alexandre

  4. Lobo Cinzento says:

    Ter o mesmo sangue não é motivo para praticar a paciência além do limite. Se não há tolerância nem razão para manter o contato, não vai ser um laço sanguíneo por si só que vai mantê-lo.Acho datas comemorativas de um vazio enorme de significado. Para alguém, há muito tempo pode até ter significado alguma coisa, mas para os contemporâneos, não significa mais nada.Abraços

  5. Paulo Braccini says:

    "Na minha vida só tem espaço pra quem me respeita." Mais nada a dizer … este é o meu preceito de vida a muito tempo e sem nenhuma concessão … família, amigos, colegas, vizinhos e outros bichos …bjux;-)

  6. Pablo says:

    Isso aconteceu com minha irmã dois meses atras.Ela ficou sabendo que eu era gay e estava namorando, ela veio aqui em casa me insultar.Infelizmente não consegui me conter e chamei-a de vagabunda para baixo.Me arrependo, pois sempre quis demonstrar que estou evoluindo.Enfim, não nos falamos mais.Lamentável sua história também.Té_+

  7. Papai Gay says:

    Olha Carlos, já tentei muito. Já conversesi muito. Hora do BASTA!

  8. Wans says:

    Se vc já tentou conversar, não há o que fazer. Deixe-o falando sozinho mesmo. Seja feliz com a sua sexualidade e deixe a frustraçãod ele à puta que pariu!Seja feliz!

  9. Benito Barros says:

    Quando ainda esperança,o Natal era presentes indesejados,galinha e bolo- comer de doente, visitas e feriados -missa e reunião de família,presépio de papel, barro ou pano.Tudo de muita arrumação e seriedade.E o menino só se criançava nas desobediências,na tamarineira do quintal ou na maré.Hoje, o menino que não foi, adora o Natal.O lucilar das luzinhas bexigando árvores nas ruas,e, os enfeites e os sentimentosde matéria plástica.Adora “amigo-secreto”, absurda brincadeira que habilita os participantes à honestidade inquestionável:de tão secretos,os amigos jamais se revelarão.E a reunião em família?Como ele gosta!Aquele magote de parentesexalando suaves podridões próprias para a data…xxxxParabéns pelo Blog

  10. Edu says:

    Ter o mesmo sangue não é motivo para praticar a paciência além do limite.(2)Eu ia justamente pegar o comentário do Carlos pra dizer que pelo seu texto imaginei que já se haviam esgotado as possibilidades de conversa. Nesse caso, fez bem. Até torço pra que finalmente caia a ficha na cachola do irmão, mas… paciência tem limite.~Beijo!

  11. Marcos says:

    Já tive muito esse tipo de problema com meu irmão. Ele fazia a mesmíssima coisa que o seu irmão fazia contigo. Acontece que eu descobri o pq de tudo. Meu irmão, apesar de ser casado e ter filhas, tb é gay… Ao tentar me destruir ele tentava "matar" o gay que tb há dentro de si. Hoje não nos falamos mais. Vejo que ele é uma pessoa sofredora. Mas tb não tenho pena dele, ele que se lasque!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *