Sábado e filho combinam?

Hoje estou feliz. Sábado e meu filho resolveu passar comigo. Olha que é noite, sábado à noite. E ele tem uma namorada! Quando um adolescente de 18 anos, prefere passar seu sábado com o pai, toca um sininho de desconfiança. Será que está realmente tudo bem? Estou lendo um livro que se chama “Clube do Filme” onde um pai na tentativa de ajudar seu filho, que não quer mais estudar, resolve lhe dar uma educação extracurricular de “filmes para a vida”. Um belo dia o filho resolve fazer exatamente o que o meu está fazendo hoje. No livro o pai diz que passar um fim de semana com o pai nessa idade deve ser a última opção do adolescente. Caramba, espero que o autor esteja errado e que o meu filho esteja apenas com saudades.

Na verdade, sei que está tudo bem e que a preocupação dele é comigo. Eu andei meio “borocochô”, meio carente. Uma carência de família, de amigos, de amor, sei lá… Mas ele percebeu. Ainda vou conversar com ele antes de dormir. Como é bom ter um filho, ter alguém que desinteressadamente quer o seu bem e vice versa. Quero ter conversas plenas, conversas sem subterfúgios, conversas que acrescentem, como seria bom se nossos laços se estreitassem. Não o vejo o quanto gostaria, depois do divórcio nunca moramos juntos, não tive ainda o dia a dia com toda a carga emocional e de responsabilidade que isso acarreta. Quero mudar isso. Não é o momento, mas acho necessário. Quero criar situações inesquecíveis, quero ser o primeiro a ensiná-lo a guiar um carro, quero ir um dia num passeio de barco mergulhar e juntos explorarmos as belezas do litoral brasileiro, quero compartilhar aqueles momentos que a gente um dia repassa pros nossos filhos, netos e assim vai…

Como é lindo saber que vou continuar vivo através dele. É cliché, mas eu realmente sinto a imortalidade. Não será escrevendo um livro, ficando famoso, nada. Será mesmo através da procriação da espécie. Pois é, os religiosos se fuderam nessa, sou gay e procriei. Ponto para os gays!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in filho, homofobia, igreja, Pensamentos. Bookmark the permalink.

8 Responses to Sábado e filho combinam?

  1. Leandro says:

    Pois é, os religiosos se fuderam nessa, sou gay e procriei. Ponto para os gays! lol amei esta frase, mas eu não quero procriar jamais.

  2. Rafa says:

    eu quero procriar! Adorei este post!Meu pai biológico eu não conheço… E o que me criou eu não tenho contato!Ou seja, abandonado! rs…Queria ter um pai que fosse assim como você… que se preocupasse comigo! Sinto falta disso!Minha mãe tenta fazer os dois papéis, mas não é a mesma coisa!Agora já tenho 24 anos tbm… Não sei se faria mt diferença!Ou faria???

  3. Papai Gay says:

    Querido Rafa, o papaigay aqui tem um coração grande, pode chegar… rs

  4. Anonymous says:

    Talvez seu filho tenha lido aquele post no qual vc dizia que estava se sentindo sozinho…

  5. Rafa says:

    Mas é sério!Pai faz uma falta danada!Quando falo PAI é PAI!Não deixe de ser Pai para seu filho…E não faço convites de Pai pra mim… Pq eu tô mô carente de Pai mesmo…Tem coisas que eu, mesmo gay, quero conversar com um homem maduro e consciente do meu mundo…Acho q ter um pai gay deve ser tudo!Desde que ele não se interesse por um dos meus amigos… Seria um saco ver meu pai namorando um amigo meuheheehe…Bjo Pai!rs

  6. FOXX says:

    seu filho deve ser alguém bem especial, pelo pai que tem né?

  7. pinguim says:

    Tenho uma inveja tua, por teres um filho; mas é inveja num bom sentido, só porque não tenho e gostava muito de ter…

  8. Papai Urso do Interi says:

    Ponto prá nós! Conseguimos lançar nossa linhagem genética no mercado hetero! I just feel the same: immortality!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *