O holocausto gay esquecido.

Esse documentário é foda! Super introspectivo, pessoal e de certa forma apaziguador. Acho que seus protagonistas, reais sobreviventes do holocausto, conseguiram através dele exorcisar, um pouco, seus velhos fantasmas. LINDO, poético e real. Baixei este documentário à algum tempo, Paragraph 175. Conforme verão, trata-se de uma lei que gerou muito preconceito e morte aos gays na Segunda Guerra Mundial. Uma coisa meio “Leviticus” do Antigo Testamento, que chama os gays de abominação. E que nos atormenta até hoje…

Minha maior surpresa ao ver esse filme é que suas histórias estão totalmente esquecidas, ninguém os havia entrevistado até agora. Ninguém se importou com a matança de centenas de milhares de gays. Só se fala nos judeus do holocausto. E por que será que isso acontece? Porque viado não está nem aí pra sua história, pros seus heróis e seus mártires. Quem lapidou a história para que não esqueçamos do massacre aos judeus? OS JUDEUS! Eles, detentores dos meios de comunicação em massa atuais, principalmente HOLLYWOOD, fizeram a “Lista de Schindler”, “Bastardos Inglórios”, “O pianista” e por aí vai… Mas os manda-chuvas de hollywood também não são gays? SÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO!!! Mas os executivos do mundo todo, quando se trata de homosexualidade, não têm “culhões”. Se deixarmos, nunca criaremos uma identidade, um passado, uma história.

Está na hora de pararmos de falar que queremos ser iguais, que ser gay é só mais um traço da nossa personalidade, isso nos anula. Cria uma massa que não se funde. Estamos matando nossa história, desvalorizando nossas lutas e nos inferiorizando cada vez mais. Por isso, acho indispensável assistirmos e reproduzirmos esse filme. Se não passarmos adiante nossa história, ficaremos assim, como estamos, personagens caricatos de revista em quadrinho. Jamais seremos história, um livro denso de biblioteca, estaremos sempre na sessão dos gibis das bancas da vida.

Foi após ler o comentário no post anterior de Wallace R. que decidi disponibilizar esse link para vocês. Wallace queria uma dica de documentário para passar na sala de aula, pois estava sofrendo de muito preconceito dos seus “coleguinhas” de turma. Isso certamente os fará pensar. Não sei se mudarão de opinião, mas não custa tentar. Enjoy

Paragraph 175 download:

http://www.megaupload.com/?d=34BB2PF4

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in arte, cinema, homofobia, justiça, nazista, ódio, violencia. Bookmark the permalink.

9 Responses to O holocausto gay esquecido.

  1. Leandro says:

    eu assusti um filme homo alemao e um personagem idoso masculino diz indignado sobre este assunto que ate parece que só os judeus sofreram foi entao que eu comecei a pensar sobre o assunto, mas nunca assisti este documentario, mas farei, obrigado pela dica.Wallace mantenha se firme e forte querido porque eu tbm sofri discriminação na escola e nao tive outra escolha em me impor porque estes insanos sao perversos. Infelizmente ate alguns professores são homofobicos.

  2. Junnior says:

    Papai Gay, lembrei de você pq o dia dos pais está chegando. Tenha um ótimo final de semana, um feliz dia dos pais e parabéns.Junior.

  3. Wallace R. says:

    Que honra, um post inspirado em mim :DObrigado Maurício, Temos que mudar o pensamento dos héteros e gays, isso não pode continuar assim em pleno século XXI.

  4. Jorge says:

    Cara… não necessariamente por causa desse post, mas eu adoro teu blog. Mesmo. Parabéns.

  5. Leandro says:

    Acabei de assistir o documentario e fiquei triste e confirmou algo que eu sempre pensei "infelizmente existem pessoas biologicamente más". Eu chorei por causa de Heinz F. este senhor ficou devastado. Feliz dia dos pais!

  6. Absolut Intense says:

    Pois é pessoal, apesar de acreditar que as coisas estão mudando, fico pensando todos os dias, quando é que iremos retornar aos tempos de Alexandre O Grande. Tempo esse, que o preconceito era algo praticamente inexistente. Quem assistiu o filme sabe do que estou falando! Sempre me interessei muito pela história do holocausto e seus referentes, mas esse filme alcançou outro nível!!!! Muito bom mesmo! Quanto aos executivos não terem culhões, fico pensando no seguinte: quando se divulga um filme, uma peça de teatro, um livro com temática gls, a repercursão do assunto é muiiiito maior, como foi com Brockeback Montain, com o seriado Queer as Folk (recomendo), que foi proibido até mesmo em canal pago, sendo liberado somente 2 anos depois de muitas brigas entre a produtora e à justiça! Enfim, o que quero dizer, é q não importa se a temática é gls ou não, quando se trata de um assunto polêmico, o interesse do público aumenta! Quem não lembra do bafafá que teve o ultimo capítulo da novela América, devido ao fato de "cogitarem" a apresentação do primeiro beijo gay em rede nacional? O ibope da novela estourou como nunca na ultima semana! O que acontece na verdade é q muitas pessoas ainda tem medo de dizer q não tem preconceito, porque TER preconceito é "favorável" às normas da sociedade! (a propósito Papai Gay, eu sou aquele chato que estava pensando em se matar! Agradeço muito a sua ajuda, e, agora estou aki, virei fã do teu site! parabéns)

  7. Papai Urso do Interi says:

    Preciso assistir, anyway somehow, I gotta do it… Sabe numa outra encarnação devo ter sido explodido durante a II Guerra, só isso explica meu fascínio por essa época negra da história… Mais ainda minha curiosidade sobre o tratamento dispensado aos gays marcados pela faixa com triângulo rosa invertido. O pior é que acho que o desgraçado do Hitler tinha um mega-homo-enrustimento e por isso detonou o mundo. Dava uma pinta fora de série, tem até livro (O Segredo de Hitler). Se ele tivesse sido ele mesmo, ainda que nos bastidores militares, provavelmente a história teria sido diferente…

  8. Nilton Pavan says:

    Tentei baixar o “Paragraph 175” mas nao etá mais disponivel, teria como envia-lo?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *