Bailarino é "HOMEM"?

Mais uma dessas coisas de assistir programas populares na TV. Nada contra, mas eu procuro evitar, pois sempre discordo da porra toda, critico tudo, acho que é todo mundo “teleguiado”, sem opinião e “Maria vai com as outras”. Mas, confesso que assisto, nem que seja pra me irritar mesmo. Bom, estava vendo “Mais Você” e a Ana Maria Brega recebia um convidado de uma novela qualquer cujo personagem é bailarino. Até aí tudo bem. O problema é que ela frisava o tempo todo que o rapaz estaria lutando contra o preconceito de ser homem e fazer ballet. Que “HOMEM” pode fazer ballet, e que “HOMEM” isso e “HOMEM” aquilo, e ficava implícito que “HOMEM” era sinônimo de “HETEROSSEXUAL”. Como isso me incomoda! Ok, o cara pode ser hetero e fazer ballet, como podo ser gay, como pode ser aleijado, cego, surdo e o caramba!

Essa história de dizer que o bailarino sofre preconceito é relativa. Se o bailarino for uma cara sem preconceitos de verdade, estará pouco se lixando se vão achar que ele é viado. O hetero bailarino fica o tempo todo lutando pra dizer que não é gay, como se isso fosse a pior coisa do mundo. Isso gera ainda mais preconceito. O carinha na TV disse que encampou uma luta para afirmar que “HOMENS” podem, sim, fazer ballet. TÉDIO TOTAL ISSO.

Quero apenas finalizar que ser “HOMEM” não é sinônimo de ser “HETERO”, e sim uma condição nata de todos os seres humanos que nasceram com pau. Esse negócio de encher a boca pra se dizer homem é ridículo. O cara pra ser homem não precisa nem mesmo de ser bom caráter, de ser corajoso, NADA. ELE NASCE HOMEM!!! Claro que tem ainda os que viram mulher, mas isso já é outro post né?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in gay, homofobia, Pensamentos, preconceito. Bookmark the permalink.

9 Responses to Bailarino é "HOMEM"?

  1. Leandro says:

    Falando em programa de televisão 5ª feira passada eu tinha decidido assistir o novo reality show da gRobo. Então um participante nordestino de olhos azuis conversava com os concorrentes e diz que é tipico da sua terra é cabra macho então uma moça pergunta ao mesmo se ele é macho mesmo então ele afirma que sim – URH me irritei com a conversa. Até quando muitos ho-homos deixarem serem rebaixados estes cretinos continuaram a usar as mesmas expressões sem nexo. Eu nunca vi um humano macho metade cabra.

  2. Papai Urso do INTERI says:

    É o q sempre digo, biologicamente ñ tem neologismos e nomenclaturas vãs c/ fins d segregação: ou é macho ou é fêmea! O resto é bagagem cultural e culpa religiosa incutida no dia a dia. Mas quando o clamor do sexo vem, a orientação internalizada e única d cada um fala mais alto, aí ñ tem conversinha d pastor nem moralismos d padrecos sujos q deem jeito! Vem com o indivíduo, tal como um kit completo, vc pode ñ gostar deste ou daquele item, mas ele faz parte do pacote gay e ñ adianta espernear! Historinha p/ tiazinha contar na escola: Deus fez dois bolinhos e pôs aos sol p/ secar, um estufou (macho!) e o outro rachou (fêmea!). O que fazer com os bolinhos cada um decide ao longo da existência neste planetinha hostil e cruel! Simples assim! Em tempo, Ana Maria Braga é uma chata, ñ sei como aguentou assistir metade daquela chatice!

  3. Leandro says:

    Papai Urso do interior eu nunca ouvi esta história hilária e ao mesmo tempo exdrúxula sobre os bolinhos kkkkk

  4. Diogo Didier says:

    concordo com vc! é ridiculo enquadrar alguem num grupo sexual só porque vc faz ballet clásssico…eu sou bailarino e na minha academia há muitos homens que se consideram héteros e não estão nem ai para o que o povo irá dizer…

  5. Minhas Duas Mam&atil says:

    Verdade… odeio quando falam como se hetero e homem fossem sinonimos… deprimente…Gays, pra mim, sao muito mais homens do que heteros… se for pensar nessa linha de raciocinio…tem que ser muito "homem" pra ser gay, para ter orgulho e forca de se assumir para a sociedade!

  6. Papai Urso do Interi says:

    Finalizando a historinha anterior, o bolinho q estufou (macho!) é ambivalente. Já pararam p/ pensar q o macho da espécie é o único q pode sentir a delícia d penetrar e ser penetrado. Se uma mulher quiser penetrar outra tem q se valer d uma cinta com… UM PÊNIS 'FAKE' acoplado!!! Se o homocidadão ñ ver o lado bom das coisas, quem vai ver? A sociedade hipócrita e as religiões recalcadas só se empenham em baixar nossa moral, nos transformar em aliens, nos broxar, nos botar prá baixo… Chega, né não?! Se meu filho + velho hoje c/ 4 aninhos decidir fazer balé daqui há alguns anos, eu mesmo vou leva-lo e busca-lo, quero ver quem vai impedi-lo! Bem Disse MauCouti, 'Leviticus é o meu cu!'

  7. Marllon says:

    Não sei porque as pessoas pensam que gay não é homem essa não foi a primeira vez que vi uma coisa parecida recentemente o Luan Santana no de frente com Gabi falou mas ou menos assim : "Nossa eu não entendia porque as pessoas falavavam isso comigo eu sou homem ".

  8. Anonymous says:

    O maior exemplo de "macho alpha" traumatizado pelo ballet é o Marcelo Dourado do BBB. Como ele, já conheci uns cinco jiujiteiros que foram bailarinos (minha mãe é professora aposentada de ballet) e todos, sem exceção, são gays enrustidos que ainda saem com caras, mas insistem em ser machos alpha. Mas de fato, a maioria dos heteros que faezm ballet já levam a "fama" e estão pouco se lixando pros outros. Amigos da minha mãe casados com mulher eram comedores vorazes de xana enquanto o povo ficava zoando eles.Ah e precisa comentar que a travesti BAGUNCA do video da net é a trava que bateu no Dourado ai no RJ! Lembra que a tia dele contou que ele apanhou de travas e ele desmentiu? Pois foi dela e suas amigas. Não é poético o negócio? beijo a todos.

  9. Pandora says:

    Adorei quando vc disse: "TÉDIO TOTAL ISSO." kkkk arrasou!!! É bailarino e ser for homossexual e se gostar de "dar pinta" e ai vai ser menos talentoso por isso??? Fala sério!!! A Ana Maria é um prego!!!Se ela queria afirmar que existem bailarinos heteros que afirmasse de cara, sem meias voltas ou meias culpas, agora ficar de lero loro é que não dá…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *