A Revanche das Ex…

É tão fácil apontar o dedo, né? Ok, você é um filho da puta, sabia que era gay e se casou, iludiu a mulher. Tadinha, agora o que ela faz? Fez isso pra ficar bem na sociedade, é um egoísta! Nada disso!!! Tudo errado!!! O pior dessas acusações é que: não é pra se passar de comedor, ou de machão perante a sociedade que nos casamos. Se fosse só isso… Teríamos que ser mesmo um bando de filho da puta! É 1000.000.000 de vezes mais complexo que isso. Você é criado para ser hetero, sufocado, anulado… Você sabe que é gay, mas mesmo assim isso não te dá forças para lutar contra o mundo, apenas por saber dessa verdade. E nós nos APAIXONAMOS por essas mulheres. Eu duvido que o marido delas casaram sem as amar. O fato é que esse amor pode durar a vida toda, e você nunca precisar viver essa homossexualidade, ou ele pode ir terminando, murchando, acabando, até o ponto em que não valha mais a pena abdicar de ser completo na cama, com o mesmo sexo, e o casamento termina. Tenho certeza que muitos gays continuarão casados, virarão avós e nunca experimentarão sexo gay. Nós amamos elas enquanto dura, esse papo de que foram iludidas, que nós já sabíamos e por isso merecemos a forca, é muito caído para ambos os lados, PAREM de se ferir com o julgamento, se soltem, libertem-se disso, vão ser felizes, não é possível que isso seja algo para se remoer dessa forma.

Bom, toda mulher deveria entender que quando casamos e amamos uma mulher, mesmo sendo gays, que esse amor é lindo e que deve ser considerado um puta elogio. Abdicamos de muita coisa por esse amor. Abdicamos principalmente de nós, de nossos desejos, porque queremos, e não por medo.

Escrevo esse post em resposta a um blog no qual deparei aqui na net, o blog “a esposa: Meu marido é bissexual”. Lá, tem a versão única da mulher traída e recalcada!!!  TODOS saem feridos de um relacionamento que não deu certo. A visão única não ajuda em nada. Quanto a serem enganadas: O ser humano se engana, é enganado e engana para sobreviver. Uma mulher que frequenta esse tal blog entrou aqui e disse que eu podia ser processado por enganar minha mulher. Nem ler o post, que está lá nesse tal blog, ela sabe. O caso que aparece lá, da mulher que processou o marido nos EUA, é totalmente diferente: Ele sabia que estava com AIDS e não se previniu com a esposa. Algo absurdo e totalmente passível de processo. Realmente, esse blog “a esposa”, para não chamá-lo de “as mulheres recalcadas que querem vingança de qualquer jeito”, faz um dis-serviço, ele ensina às mulheres a colocarem programas espiões nos computadores dos maridos, invadindo e violando qualquer tipo de privacidade entre os casais, e por consequência acabando com o respeito e o casamanto. Se o cara não for gay, e se não estiver traindo, vai matar essa mulher. É de se lamentar mesmo. Pra finalizar, homens que se casam e se descobrem gays não são monstros, e não enganaram ninguém, óbvio que existem exceções, mas eles na verdade honraram essas esposas com um amor muito mais puro do que qualquer hetero poderia lhes ter dado. É um amor que não depende do sexo, chega a ser quase sublime, o mais próximo de se amar a alma que se pode chegar. Quando vocês mulheres entenderem isso, sentirão orgulho de terem sido amadas por um gay.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in casamento gay, esposa, gay e exercito, mulher, papai gay, sexo, traição. Bookmark the permalink.

30 Responses to A Revanche das Ex…

  1. Allen says:

    Acho que o mais barra da esposa por estar com um marido realmente gay que a traiu, é perceber a impotência por não ser o sexo objeto de desejo do marido, além de enganada e traída, ela ainda vai sofrer por não ser desejada por ser mulher.Por isso acho que é a pior as traições.Sem falar por se tratar de uma traição "a longo prazo", aconteceu e vai continuar acontecendo por que o cara é um escroto e precisa de um disfarce.Dá até nojo.

  2. Papai Gay says:

    Allen, voces estão ficando impossíveis mesmo. Traição é traição e ponto final. Enganada não é a palavra certa, a mulher é poupada da confusão que é ser gay em uma sociedade homofóbica. Dá nojo ver comentários estúpidos como o seu, isso sim. A mulher é o objeto de desejo do marido mesmo ele sendo gay, ou você acha que dá pra fingir trepar por 10 anos? Quem disse que todo gay trai? A vontade pode existir e nunca ser concretizada. Olha, mulher recalcada é realmente a pior espécie do planeta. Cruzes!!!

  3. Anonymous says:

    E tem casos em que a mulher casa mesmo sabendo sobre o cara…

  4. FOXX says:

    verdade, concordo, mas interessante q ninguém ter dito isso ainda né?

  5. Papai Gay says:

    Foxx, querido. Isso quer dizer que não sou Maria Vai Com as Outras… Existo, logo penso… rs

  6. Cara Comum says:

    Preguiça de ter que ficar falando pra quem já decidiu dar a condenação e pronto… É por essas e outras que ando ignorando opiniões alheias ultimamente… Abração!

  7. Papai Urso do Interi says:

    Incrível como alguns posts seus parecem ser escritos sob medida para a realidade de quem lê. Tb tive casamento hetero fracassado, mas em nenhum momento me culpo por isso (a eterna vitimização das mulheres ao mesmo tempo em que nós os homens somos sempre os 'monstros insensíveis' da relação comigo não cola), acho que mulheres de gênio ruim põem tudo a perder em qualquer relação seja ela hetero ou não, no meu caso, tentei reconciliar por causa das crianças mais de uma vez, mas minha ex era mesmo o demo!!! Seu texto foi lindo e muito coerente.

  8. Samuel Dias says:

    Mau, passa lá no meu blog que tem um selo pra você. É um incentivo da blogosfera a blogs como o seu. Abração!!

  9. Papai Gay says:

    Podem me chamar de anti-democrático, mas enjoei de aceitar todos os comentários. Se for pra entrar aqui e ficar falando que eu usei minha ex-mulher, pode ter certeza que não vou aceitar, e quanto a ser a minha verdade aqui, é sim, a minha verdade, sou eu que escrevo, de quem mais seria? Não tenho o menor saco pra ficar discutindo eternamente o mesmo assunto. Todos podem discoradar e achar o que quiser de mim, mas acusações e apontar o dedo no meu blog para minhas atitudes, enjoei de aceitar, quem quiser vai lá nesse blog da esposa e fala a vontade mal de mim, pois eu não entro lá nem amarrado mais.

  10. Minhas Duas Mam&atil says:

    Brigada papai gay! Adoramos a visita! Sim, nossa filha eh uma fofa e somos (assim como vc!) uma familia moderna! Acompanho sempre seu blog e acho demais! Aprendo bastante e acabo repostando coisas no meu blog!Bjos!Aggy, Bel e Elis

  11. Cris says:

    Acho muito digno a pessoa ter a coragem de tentar uma relação e, mesmo após uma frustração, assumir pra outra que não dá mais… Isso pra mim, passa longe de "enganar-a-mulher-traída-coitadinha…"

  12. Washington says:

    Papai Gay, já disseram uma vez que mulher traída (quase) sempre deixa a dor dominar toda a sua existência. E quando isso envolve uma provável homo ou bissexualidade do marido/noivo/namorado, aí, a dor é pior. Tem um livro (que eu li) chamado "Cuidado! Seu Príncipe pode ser uma Cinderela", escrito por duas jornalistas e com informações de mulheres que foram (ou são) casadas com gays/bis e com a contribuição de homens também (uma parte é até engraçada, como a de um gay que, após sobre um acidente de bicicleta e ser arremessado metros de distância, perdeu a memória, "tornou-se" hétero e virou um garanhão).Acredito que devemos olhar os dois lados. Como disse para você, Papai, aqui num outro tópico, fui ter ciência da minha (bi)sexualidade somente após os 20 e poucos anos. Juro que tinha certeza que era heterossexual (e até um pouco homofóbico, assumo). Mas a maioria das mulheres não sabem lidar com essa situação. Elas são educadas desde pequenas para acreditarem em contos de fadas, em "viveram felizes para sempre", o cara perfeito e ideal. Quando elas descobrem que tudo isso não passam de uma ilusão, dá nisso. Mas devemos entendê-las.Mas também infelizmente há muitos homens gays ou bi que, mesmo sabendo da sua condição sexual, partem para um relacionamento com uma mulher com simples motivo de mascarar sua real sexualidade. Sim, muitos podem amar suas esposas e, em nome do amor, abrir mão do seu lado homo para viver uma vida que sempre quiseram (com esposa, filhos e netos). Mas também há muito homem casado que vai à saunas, clubes noturnos, sai com michês ou travestis. Infinitas vezes me deparei com vários "Ksado a fim" em salas de bate-papo. Enfim, não dá para apoiar esses caras. É melhor abrir o jogo com a esposa então. Nunca conto de imediato minha (bi)sexualidade para alguma namorada ou namorado. Elas principalmente não entendem e acham que sou vagabundo, promíscuo. Mas com passar do tempo, me abandonam e acham que não sirvo prá namorar. Nunca traí ninguém, sempre fui fiel e prefiro ser honesto comigo e com os outros. Se não tá legal, parto prá outra.Mas acredito que elas também deveriam entender esses homens. Se elas realmente amam seus maridos, deveriam perdoá-los, ficar sem mágoa, fazer de tudo para salvar o casamento (conheço dois casais, ambos com marido bissexual, e que as esposas procuram entender e vivem bem). Devemos transcender!Tudo de bom a você, Papai Gay e aos leitores do blog.

  13. Meu Maior Projeto says:

    Oi…tem um presente pra vc no meu blog. Dá uma passadinha por lá. Bjos

  14. Charles says:

    Post incrível, adoreiProdutos Eróticoshttp://www.amorsexshop.com.br/default.asp

  15. david era uma vez... says:

    Ola Mau!!Muitississimo certo o que vc diz…Raciocinando como uma Ex que foi "largada". Elas já culpam qquer coisa o marido por terem sido largadas, mesmo quando o coitado não tem culpa.. agora quando elas tem esse argumento em mãos… ahhh elas sapeteiam pela carne seca e ainda fazem propaganda de Nossa Senhora Sofredora Enganada… mesmo quando dizem que te compreende…. sei bem disso!Beijos meu amigo!

  16. Hugo de Oliveira says:

    Papai Gay,Eu já tinha visitado o blog e até comentei na mesma postagem que você comentou. Voltei lá agora e observei que a coisa esquentou bem por lá.Eu até contei um pouco a minha história por lá. Mas, infelizmente algumas mulheres acham que enganamos elas ou fomos egoístas e tal …A minha namorada na época, foi super companheira e encarou a situação como algo natural. Hoje somos amigos e muito amigos mesmo…Porém, não são todas que tem a mesma postura.abraços

  17. Papai Gay says:

    Hugo, muito caído esse blog das ex…

  18. Papai Urso do Interi says:

    O que me irrita é a eterna visão da mulher como a frágil, a desprotegida e a enganada. Em qualquer presídio feminino tem mulheres que fizeram coisas mais ou tão hediondas que qualquer homem, a maioria das torturas infantis com requintes de crueldade (arrancar unhas com alicate elétrico, queimar c/ toco de cigarro, espancar bebês de dois anos, serviço doméstico escravo, esfregar pimenta nos olhos, espetar agulhas pelo corpo, etc) é feita por mulheres! Será que mulher tb nunca engana, mente e trapaceia?! O fato de ter provado rachas me obriga a passar o resto da vida com elas? Percebem que há um preconceito às avessas, como se ser gay maculasse, manchasse p/ sempre tudo mais que temos de bom? Concordo c/ Papai Gay, nunca fiz algo deliberado, planejado, com intuito de fazer uma mulher sofrer por mim ou pelo fim de um casamento/família, isso não existe, relacionamentos acontecem sem programação específica, e não existe um manual de sobrevivência p/ um casamento que vai mal, digo sempre que é como café: não adianta requentar se já esfriou! Respeito as mulheres, não tenho aversão, nojo, misoginia, nada disso, mas tem joguinhos sentimentais femininos que são simplesmente insuportáveis, tipo incutir culpa e medo em nossas cabeças (geralmente mães controladoras/dominadoras, esposas mandonas, e por aí vai…), com homem não tem isso, não, thanks God! Se rolou química, ótimo, se não, vamos p/ o próximo, e assim a vida gay segue seu curso…

  19. Rumpleteazer says:

    Eu acho que o problema é da própria sociedade e da mentalidade ervilha da grande maioria da população, incapaz (ainda) de lidar com a diversidade sexual de seus semelhantes. Se o casamento gay fosse legalizado e se as pessoas aprendessem que antes de sermos gays somos seres humanos em busca da felicidade, ninguém precisaria se esconder atrás de casamentos heterossexuais de fachada. Eu até acredito no amor entre um gay e uma mulher, mas nunca me vi nessa posição, pois ao colocar a cabeça no travesseiro toda uma "mentira" viria à minha cabeça. Algo como uma vida dupla, a mesma vida dupla que vivemos quando gays em alguns lugares e hetero para outros. No armário de um casamento hetero. Nestes casos acredito que o que segura muito estes casamentos são os filhos. Faz-se de tudo por eles, fazemos concessões, renegamos coisas a nós mesmos e tocamos a vida. Para muitos a vida de escapadas em saunas, motéis e michês parece suficiente. Para outros, viver a "mentira" torna-se cada vez mais doloroso, ainda mais por saber que você está com alguém que mereceria um cara hetero ao lado. Você, gay, merece um cara do mesmo sexo que o seu, que te ame e que caminhe ao seu lado. E sua mulher merece o homem dela. Entender que isto nada tem de egoísmo é o melhor dos passos.

  20. Papai Gay says:

    Rumpleteazer, fico entediado quando leio que um gay se casar ele estaria vivendo uma mentira e que uma mulher hetero "merece" um homem hetero. Isso é só mais um meio de segregação. Qual é o problema de se unirem gays e heteros? Tudo depende da honestidade. E nem digo da honestidade de um para o outro e sim, a honestidade consigo mesmo. Se o gay se casa achando que pode viver uma vida heterosexual, ele não está enganando ninguém, nem a si proprio, o problema surge quando o gay sabe que não quer isso e mesmo assim se casa por medo. NO meu caso e no de muitos gays que se casaram, nós achavamos realmente que não seriamos gays para sempre, nos apaixonamos por essas mulheres e PONTO! Cada gay se comporta diferente quando se trata do sexo oposto, tem uns que não gostam de jeito nenhum de mulheres como parece ser o seu caso, enquanto existem outros que ficar casado com uma mulher pode ser a solução ideal. O ser humano é muito mais complexo do que sua sexualidade.

  21. Anonymous says:

    Meu companheiro há 10 anos, foi casado com uma mulher 14 anos mais velha que ele, se conheceram numa boate gay no fim dos anos 70, ele era um menino meio bobo, deslumbrado, enquanto ela uma mulher madura de 34 anos, profissional estabalecida.Se casaram, ela sempre dominando a relação, ditando as regras, moldando ele da forma que queria. E ele não aguentando a pressão do casamento, nem conseguindo reprimir o desejo homossexual, foi procurar os amantes na rua. O casamento não deu certo, depois de dois filho se separaram, e ele foi viver a vida de forma intensa. Anos depois eu apareço em sua vida, depois dele se relacionar com muitos homens. Encontro um cara sem compromisso aberto a um novo relacionamento, com vontade de encontrar um cara com o meu perfil (temos mais de 20 anos de diferença na idade). Iniciamos um namoro maravilhoso e um ano depois resolvemos morar juntos e estamos felizes até hoje. O problema é a ex. Me culpa por acabar com o casamento dela, me chama de destruidor de família, e todos esses xingamentos horríveis contra os gays. Já me agrediu muito ao telefone, num maior escândalo, me seguia na rua, tentou procurar minha família para me prejudicar, chegou até arrumar uma lésbica bem machona para me bater na rua, sorte que me avisaram antes rsrs, tenta sempre denegrir minha imagem perante a família do meu companheiro e os filhos que tiveram no casamento. Alías é uma chantagista e manipula muito os filhos contra mim. Armou um escândalo e prejudicou seriamente nossa vida profissional, éramos comerciantes. Tudo isso porque o ex marido, que ja estavam separados há anos e teve vários homens muito antes de me conhecer, e que ela conhecue numa boate gay, estabaleceu uma relação séria comigo, fixa, assumida perante os amigos e familiares. Como ela viu que não ia adiantar tanto escândalo, resolveu mudar a tática, e então a louca se passa por boazinha, ou por aquela mulher sofrida que mesmo rejeitada deu a volta por cima sem mágoas aí quando está perto de pessoas conhecidas e me encontra na rua, me chama de amigo, me beija, me liga, adora pedir favores, manda presentinhos,gosta de vir na nossa casa bisbilhotar (eu odeio isso, fica me dizendo como ele gosta de se alimentar, da arrumação de sua gaveta, sempre lembrando do tempo que eles faziam isso ou aquilo, coisas loucas assim… fica dizendo para meu companheiro que quer ser nossa amiga, quer muito ser próxima, porque sabe que é mais fácil ter ele por perto, porque ela adora explorar seja quem for. O problema que ele a conhece muito bem, e mesmo assim sempre cede aos pedidos dela, faz o que ela quer. Ela usa os filhos, que já são adultos para manipular as coisas, faz muita chantagem emocional, inventa doença, uma pedição de favores e sutilmente nos prejudica, entra na nossa casa, na sua vida, nos espiona, atrapalha nossos planos e mesmo os filhos sabendo que estão sendo usados, fazem o que ela manda. Mas o que mais me dói, é ver que meu companheiro entrar na dela porque segundo ele, não quer mais brigar, está cansado de confusão, então em nome da paz e do bom relacionamento com os filhos ele cede às artimanhas e manipulações dela. É dureza!…

  22. Papai Gay says:

    É anônimo… Chupa essa manga! rsrsrsr

  23. Equal Love says:

    Por San Sebastian do Arco-íris, que manga amarga, credo!!! Anônimo, NãO LARGUE ELE DE JEITO NENHUM ELA QUER TE VENCER PELO CANSAÇO, TOLINHO… Meu FILME É PARECIDO C/ O SEU, só que meu partner tá guentando firme o tranco, a ex manipuladora que se exploda!!! rsrsrsrsrs…

  24. Anonymous says:

    Equal Love obrigado pelo seu comentário. Sou o anônimo de cima. Realmente essa manga está bem amarga e estou bem cansado. Eu era um menino totalmente apaixonado quando me envolvi nesse relacionamento, sequer imaginava que passaria por isso, não tinha vivência nem estrutura nenhuma para aguentar essa avalanche, o que me sustentou foi meu amor por ele e o dele por mim, mas agora estou já calejado e também cansado.

  25. isabelle ludewig de lima says:

    Eu fui abandonada pelo meu então namorado aos quatro meses de gestação ele…um dia antes de ir embora, foi no ultrassom disse que amava eu e a filha, no outro dia liga uma mulher ao lado, dizendo ser tb namorada dele… falando horrores e ele com a voz tremula confirmando, sofri horrores fui varias vzs com hemorragias para o hospital achei estranho a voz dele gaguejando palavras sem nexo resumindo paguei um detetive para saber quem era essa mulher, o detetive descobriu q ele estava morando com um cara e que ele ja namorava esse cara ha muitos anos, resuminho o namorado dele nunca deixou ele comparecer no DNA faltou em todos e postou fotos em Paris eu só queria que minha filha tivesse a dignidade ao sobrenome q foi somente que eu pedi o companheiro dele tem um ciumes doentio,disse na época q eu iria exigir visitas e acabariamos tendo outros filhos e proibiu qualquer contato e aproximaçao, pois tb se sentiu traido enganado pelo pai da minha filha q era seu namorado, ele nunca deixou o namorado….ver a nossa filha com 4 anos, entre a filha e o companheiro, ele optou pelo namorado, a familia do pai da minha filha, são fanáticos evangelicos e pensam q eu fui trocada por essa amiga d ambos, resumindo caráter independênte da opçao sexual e nem sempre as mulheres são as megeras e chatas eu o conheci no parperfeito, dei todo meu amor, jantares a luz de velas massagens ajudei financeiramente, fui extremamente boa… ele dizia no parperfeito ser hetero, nada contra ser gay mas a verdade é o principio basico das pessoas de caráter!

    • Papai Gay says:

      Concordo plenamente com você Isabelle, o cara é um frouxo, isso não tem a ver com o fato dele ser gay. Meu ponto todo é esse. JamAis eu defenderia um crápola desses. Mas crápolas não são exclusividade do mundo gay. O fato dele ser gay não muda nada. Aliás, isso nem interessa. O que importa é que ele nunca assumiu a filha, como muitos heteros não fazem. Pra que você quer o sobrenome desse canalha associado ao da sua filha? SUPERE, ESQUEÇA E BOLA PRA FRENTE. Não fique remoendo mágoas. Não deu certo, não deu. Para de culpar o namorado dele. Claro que ele é outro idiota, mas o mais canalha é o seu ex. Ninguém obriga ninguém a ser omisso. O seu ex é um BABACA.

  26. Renata says:

    Conheci seu blog hoje,gostei do que li,concordei com tantas coisas e discordei de tantas outras…..enfim somos seres que pensam de forma diferentes,mas com respeito.Muito coragem vc se abrir (não digo isso por vc ser homossexual)abrir sua vida de uma forma aberta e bem clara.Acho incrivel sua coragem.
    Terei num futuro proximo ter que explicar ao meu filho o fato do avô dele ser gay,não assumido abertamente,mas que todos sabemos que ele é.Infelismente ele ainda se camufla,se esconte e as vezes ate agride as pessoas sem razão alguma,acredirto eu que é pelo fato dele ainda não ter a coragem de se mostrar como ele é.Eu ja tentei em algumas ocasioes mostrar que é absoluitamente normal,que tenho amigos heteros e homossexuais e que são todos absolutamentes iguais.
    Seu blog com certeza vai ser um incentivo para que eu possa educar meu filho sem preconceitos.

    • admin says:

      Que bom, é por causa de comentários como o seu que escrevo. Quanto ao avô gay, tem que entender que é de outra geração, e ele deve ter se acostumado com a mentira ao ponto dela lhe ser confortável demais para ser abandonada. Tomara que um dia ele se resolva, pois é horrível esse período de incubação. Meu conselho para criar seu filho é de não esconder nada que diz respeito à sexualidade. Não tente criá-lo para ser heterosexual. Se ele for, isso não será ameaçado pelo conhecimento. Agora se ele for gay, que o seja desde o início, sem paranóias. Ambos os cenários ele será uma pessoa melhor…

  27. ali says:

    Oi! venho acompanhando seu blog a algum tempo e é a primeira vez q comento,sei q é um post antigo,mas mesmo assim preciso falar algo q me intrigou nesse texto.
    Eu acho q um gay pode se relacionar com uma mulher,mas não um relacionamento sem cicatrizes dolorosas e duradouras para os dois lados,caso tiverem um filho,como ficam os filhos no meio dessa história de amor q foi exceção na vida sexual de seus pais?
    Eu também acho muita ingenuidade sua banalizar o “ser gay” e atá sobrepujar o amor de um gay por uma mulher como sendo maior que o amor de um hétero pela mesma.Na minha opinião e visão de mundo o amor é complementar a sexualidade,um gay ama outro gay,principalmente, por este outro poder entender o q o outro precisou passar para viver esse relacionamento juntos,sentiu na pele e no peito sensações semelhantes de frustração diante de familiares e amigos intolerantes,alegria por poder viver sua sexualidade livremente,tristeza por presenciar situações desagradáveis no dia-a-dia,etc…
    Eu,na minha opinião,não acho q banalizar rótulos sexuais pré-estabelecidos como vc fez, também deixe de ser uma espécie de segregação sexual.
    “De aos gays o q é dos gays”, e acho q mulher não está no pacote quando vc se assume perante a sociedade machista,quebrando tabus ao dizer q se sente atraído sexual e afetivamente por homens,embora possam haver gays homo”sexuais” mas q são hétero ou bi”afetivos” q eu acho ser o seu caso.
    Esse tema abordado pelo texto e vivenciado por vc e por outros “gays” é o que eu acho ser um grande efeito dessa era pós-moderna em q vivemos, em q o politicamente correto de grupos militantes visa estabelecer um padrão de comportamento para as minorias,e agora a sociedade em geral,incluindo essas mesmas minorias,buscam quebrar e desmitificar esses padrões.Gerando um empasse no conceito do q é macho e o q é fêmea,o hétero do gay do bi,etc…
    Sou gay assumido e não vejo necessidade alguma em transar ou me relacionar com o sexo oposto,pra mim é muito claro isso,eu sei do q eu realmente gosto.Como aquela letra da música do legião urbana:
    “Acho que não sei quem sou
    Só sei do que não gosto.”
    Abraços!

    • admin says:

      Acho válida sua posição e vou tentar explicar o que eu quis dizer que parece ter sido distorcido no seu comentário. Quando falo que o amor gay por um hetero pode ser ainda maior que um amor entre heteros é porque o gay, nesse caso, em nome de tal amor, abdica da perfeição sexual que ele tanto almeja com o mesmo sexo, para ter um relacionamento verdadeiro com o sexo oposto. Isso que você fala que um gay só pode amar outro gay porque possuem experiências parecidas pra mim não faz o menos sentido. Outra coisa, não concordo e nem acho que isso seja possível, estabelecer padrões para minorias inteiras. Tudo depende de cada caso. Finalizando… Acho ótimo que você não sinta necessidade de se relacionar com o sexo oposto, mas não acho que isso seja uma força excludente para outros casos. Muita gente se apaixona e depois vai ver que sexo aquela pessoa tem. Abração.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *