Temos, mesmo, que ser alienados?

 

“…a grande comunidade LGBT é, em sua maioria (há exceções, claro), alienada e ignorante (e arrogante). Ela só vai se dar conta de que sua liberdade está ameaçada quando a perder de fato e por lei.” Jean Wyllis (Deputado Federal e ex-BBB)

Essa frases são muito fortes. Me remetem diretamente ao Holocausto. A maioria dos relatos dos Judeus, aprisionados da época, dizem que não perceberam o que estava por lhes acontecer até que se viram, dentro de um trem, em direção aos campos de concentração. Será esse nosso destino? Vamos acordar tarde demais?

Eu concordo que política é um saco, que tudo que vemos por aí é de dar nojo, mas enquanto viramos as costas, o mal domina e as pessoas de má índole se aproveitam para enriquecer em nome desse preconceito. Eu também estou de saco cheio de tanta perseguição, de tantos noticiários mostrando crimes contra LGBTs. Me considero um artista, faço filmes, fotografia, nenhum momento me propus a ser político, e nem quero, detesto. O problema é que a situação atual é emergencial, se cada um de nós não mostrarmos nossa solidariedade às vítimas, acabaremos vítimas também. Até lá, o Jean está certíssimo em afirmar que:

“O princípio da dignidade humana é soberano e eu luto por ele mesmo que os diretamente interessados não estejam nem aí para isso.” Jean Willys

E para terminar, fica a dica de Jean:

“Há mais gente boa que má. Mas as más têm mais iniciativa e fazem mais barulho. Já notou isso?”

A boa notícia é que nessa entrevista ele afirma que vai propor um projeto de lei novo que criminaliza a homofobia, pois a lei atual apenas extende a lei do racismo para incluir orientação sexual. Espero ansioso por essa!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

11 Responses to Temos, mesmo, que ser alienados?

  1. Moisés says:

    Olá, gostaria de pedir que pusesse um link no seu blog para o meu, cuja postagem inicial é uma reflexão/crítica à homofobia no Brasil e nos meios de comunicação. Que as coisas continuem melhorando para todos, abraço!

  2. Cara Comum says:

    Pois é… Cada dia que passa gosto mais do Jean Wyllis… Foi uma boa cabeça pra entrar na câmara… Abração!!!

  3. Otávio says:

    Concordo com o Jean.

    E me pego pensando nisso em relação a politica.

    Meu sonho sempre foi a carreira artistica. Me tornar um grande ator sempre foi o meu principal objetivo e ainda continua sendo. Mas as vezes me pergunto se deveria entrar pra politica e lutar pelos nossos direitos. Mas aí me faço outra pergunta: vale a pena me sacrificar por uma comunidade tão desunida? Vale a pena me sacrificar e me expor pelos outros? Como se eu fosse uma espécie de Andromeda da mitologia grega.

    Frequento muito pouco o meio gls e quando frequento eu noto que as pessoas estão muito tranquilas e não parecem estar preocupadas com o que está acontecendo. Se preocupam mais em "aparecer", se exibir, em ficar com fulano que é bonito, beijar outro fulano e por aí vai.

    É muito dificil lutar por uma causa onde não existe união.

    É triste mas eu tenho que concordar com o Jean, existem muitos gays alienados, ignorantes e muito arrogantes, enquanto as pessoas continuarem assim eu temo pelo dia de amanhã.

    • Papai Gay says:

      Pois é, mas lutar pelos gays não é algo exterior a você. Pense nisso como uma causa própria. Mas, te entendo, eu mesmo estou dando uma desacelerada… Cansa. O problema é que se não fizermos nada, acaberemos sem direito algum.

  4. Otávio says:

    " O problema é que se não fizermos nada, acaberemos sem direito algum."

    Concordo com você, e é isso que me preocupa.

  5. Cris says:

    Se por um lado eu, particularmente naõ creio que tenhamos liberdade (plena), por outro também acredito que as coisas podem piorar. Acho que não é a nossa liberdade que está, de fato e por (ausencia de) lei, ameaçada e sim nosso direito de sermos tratados igualmente. Se por acaso pudéssemos casar civilmente e alguém tentasse aprovar uma lei anulando essa situação, aí sim eu diria que existiria uma ameaça mas… nem a liberdade de podermos casar com quem quisermos nós temos. Não podemos perder, de fato e por lei, uma coisa que não temos.
    Mesmo assim eu ainda tenho esperanças de que isso mude. E logo. Cada vez que encontro um blog como esse, por exemplo, creio que isso é cada vez mais possível. Afinal, querendo ou não espaços como estes são espaços políticos. Espaços de discussões, de reflexões…
    Acredito que a luta é de todos, cada um na medida do próprio “possível”. Uns mais ativos (rsrsrs) outros mais passivos, mas todos engajados na luta. Não importa se vc tem uma ong voltada pros lgbt ou se postou um comentário contra homofóbicos em alguma rede social… o importante é não deixar que as coisas simplesmente passem por vc… Bom, pelo menos é nisso que eu acredito…
    A luta lgbt é contra o mundo mas também pelo o mundo.

    “Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar também.” Caio Fernando de Abreu.

  6. Papai Urso do Interi says:

    J.Wyllis mais uma vez ñ está apenas certo, está mergulhado, afogado, soterrado de razão, gente!! Parece forte, parece alarmista, mas não é! Trata-se do rumo nefasto que as coisas estão tomando, será que teremos mais uma página suja na história brasileira que levou quase duzentos para criminalizar racismo e quase trezentos para criminalizar a violência contra a mulher? Venho cantando essa pedra a muito tempo… O que acontece no Brasil qd um gay é apedrejado, baleado ou esfaqueado em lugares públicos? Pensem, pensem rápido… Vemos reações indignadas ou somente pessoas que no fundo acham que fizemos por merecer a agressão por vezes seguida de morte? É claro que é assim, associo isso desde sempre à escalada de pastores reacionários na política e nazifascistas do seculo XXI como Bolsonaro… E vão crescer mais ainda e vão continuar com bala na agulha pra espalhar 600 outdoors Brasil nos chamando de doentes, pederastas, pestilentos do HIV e outras coisas mais e ninguém vai fazer nada. Por sermos minoria, não vi ninguém espalhando 600 outdoors de desagravo e elucidação da coisa horrorosa que é a homofobia como resposta, vc viu? porque na cabeça ignorante de muito brasileiro, temos de morrer, pq homem se beijando em público é a última coisa que desejam! Heteros é demonstração afetiva, a gente é atentado ao pudor, estímulo à pornografia, sujeira, etc etc , não é assim que tem sido? Retrocedeu-se muito nos últimos anos, e te gente achando que Parada Gay dá visibilidade, ah façam o favor… visibilidae p/ continuar apanhando, sofrendo golpes do boa-noite-cinderella, estimulando 'zonas' ou guetos delimitados p/ gente 'como nós', tem coisa mais segregacionista do que a 'boate gay', a 'sauna gay', o 'concurso gay'… farto disso tudo e mudança zero na prática! Tudo isso é proporcional a lavagem cerebral de igrejas evangélicas e lobby fortíssimo que teem em Brasília, no mais ñ muda muito, a única mídia democrática é a internet, as outras todas são tb pagas por… (adivinhem?!) tchanran… MAIS HOMOFÓBICOS ENDINHEIRADOS!!!!

  7. Rodrigo says:

    Um preconceito muito triste é o do gay contra o própio gay! preconceito contra os feios, os pobres, os de pênis pequeno, os gordos, os magros, os passivos, os afeminados, enfim os gays são discriminados também pelos gays, e não é pouco!! Sem generalizar, mas o clima nos lugares gays é de vigilância a vida alheia, com a preocupação de ninguém deixar ninguém ser feliz, um clima de opressão, uma fofoca opressora, cada um tem seu lugar! os feios não se atrevam a entrar no mundo dos bonitos! Não existe união! Não existe solidariedade com a solidão e a tristeza alheia!! Antes de pensarmos em lutar contra homofobia, temos que aprender a gostar de nós mesmos, a se preocupar com a tristeza do outro, chega de egoísmo e indiferença!!

    • admin says:

      Querido, não sei onde você frequenta, mas MUDA! Existem sim, muitos gays amigos de gays e que não ligam nem um pouco pra nada disso que você falou. Se bem que eu nem acho que isso seja exclusividade gay, vejo muito hetero por ai com preconceito contra mulher feia, gorda e por ai vai…

  8. Rodrigo says:

    Sim meu caro, tudo bem que existem muitos gays que não tem preconceito, inclusive no meu comentário eu não generalizei, e também há preconceito do lado hétero, acontece que os héteros não precisam lutar contra heterofobia, não precisam se unir para lutar contra preconceito, pelo menos não esse tipo de preconceito! eles são a maioria! o que eu acho realmente triste é existir um preconceito do gay contra o gay que não deveria existir, e você sabe muito bem que ele existe e não é pouco!!

    • admin says:

      Não sei até que ponto isso é lenda ou realidade. Não vejo esse preconceito nas manifestações LGBT, não vejo entre meus amigos, talvez eu saiba escolhe-los, e também não vejo isso como algo atipico do ser humano em geral. Quantas tribos “heterossexuais” existem que não se cruzam? Tem os Mauricinhos, os playboys, os skinheads, os hipppies, os pops, os metaleiros… Acho hipocrisia exigir uma aceitação maior entre os gays…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *