O que rola por trás da trama gay de Insensato Coração?

Só imagino o estress de ser gay, casado há décadas, escrever uma novela no horário nobre, colocar vários núcleos com temática gay no enredo e, mesmo assim, não poder escrever, uma cena sequer, onde a troca de carinho homoafetiva seja explícita! Pois, esse é o drama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Ambos, assumidamente gays que vivem há mais de 20 anos com seus parceiros, estão fazendo um trabalho incrível de dramaturgia na Globo. Quem não acompanha esse folhetim, e se diz muito “intelectualoide” para assistir “novelinhas” deveria rever seus conceitos. Gilberto e Ricardo dão um show ao driblar as normas institucionais da Globo através de sua escrita. Mostra, como ninguém, que a inteligência supera, em muito, a ignorância. A inteligência de escrever sobre temas muito mais fortes e tabus, do que o próprio beijo gay. Eles tratam da homofobia familiar, da hipocrisia social, da diferença entre os próprios homossexuais, da descoberta e seu “coming out”, da violência gratuita, enfim, tudo está lá, para quem “quiser” entender. Isso tudo, sem “1” beijo, e nem ao menos “1” carinho homossexual. Eles próprios já declararam que não depende deles acontecer o tão esperado beijo gay na dramaturgia brasileira. FODA-SE! Não tem beijo! Mas, o que mais importa é fazer a cabeça desse povo burro, que insiste em nos discriminar, que somos “normais”, somos os seus médicos, os seus jornaleiros, os seus vizinhos e filhos. Isso Gilberto e Ricardo fazem muito bem.

Juro que tento entender as notas que a Rede Globo divulga sobre liberar ou não as carícias gays, mas não consigo. Da última vez falaram que não gostavam de tocar em assuntos tão sensíveis à sociedade, ou algo do gênero, não me lembro e nem quero. Mas porquê, então, não vetam a dondoca traindo o marido, a Norma e sua sede de vingança, os assassinatos, as corrupções, enfim, tudo que é “sensível” demais para a sua audiência? É sempre a troca de afeto gay? Isso só pode vir de algum “manda chuva” da Globo que prefere se identificar como “norma da instituição Rede Globo”. Por trás dessa máscara há uma pessoa, um indivíduo MUITO homofóbico que precisa ser descoberto e enquadrado. Não me interessa o quão importante dentro da Globo ele seja, ele EXISTE, e precisamos descobrir quem é, e o quanto ele tem o “rabo preso” com os evangélicos. Não é possível! Já está ridícula essa auto censura Global. SEMPRE VAI FICAR FALTANDO O BEIJO! A cena não fecha, fica sempre um vácuo final… Pena. Enquanto isso, vamos nos deliciando com a trama que promete esquentar muito, inclusive com a entrada de um novo personagem gay (Miguel Roncato, na foto) que será assassinado a pauladas. MUITO MAIS FORTE E NECESSÁRIO QUE QUALQUER BEIJO GAY!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in amor, gay, homofobia, Pensamentos, preconceito, violencia and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

9 Responses to O que rola por trás da trama gay de Insensato Coração?

  1. Foxx says:

    pois é, concordo, é preciso encontrar essa pessoa q é tao contra ao beijo assim dentro da globo…

  2. Irving Alves says:

    Oi Maurício, tudo bem?

    Sou repórter da revista JUNIOR e responsável pela coluna Web Hits da publicação. Como você deve imaginar, a seção é dedicada ao universo da internet. Já há algum tempo eu acompanho com interesse o seu blog. E te escrevo para pedir uma entrevista com você para nossa edição de agosto. Na verdade sei que o Bryan também tem um blog em que fala das experiências de ser filho de pai gay e meu intuito inicial seria uma entrevista com vocês dois.

    Nós falaríamos sobre o uso da internet para o combate à discriminação, além de suas vivências pessoais enquanto pai e filho. Poderíamos nos encontrar para um papo ou, dependendo da disponibilidade de vocês, poderia até realizar por email mesmo.

    O que achas? Como não encontrei nenhum e-mail de contato com o Bryan, te pediria que você fizesse esse meio de campo. Pediria ainda fotos em alta resolução de vocês dois para que possamos ilustrar a página.

    A JUNIOR é a mais influente revista gay em circulação no Brasil, atuando há mais de três anos. Mensal, a revista não tem conteúdo erótico e é focada em arte, comportamento, cultura, política, saúde, moda, beleza e outros temas. Cada edição imprime 30 mil cópias, que são vendidas em todo o território nacional e também em alguns pontos de venda em Lisboa e Miami. É editada pelo grupo Mix Brasil.

  3. Samuel Dias says:

    Mau, soube que uma coluna do Jornal Folha de S. Paulo divulgou que a Globo chamou os autores da trama pra falar sobre o casal gay da novela, no intuito de esfriar a história dos dois e eliminar as cenas de ataques homofóbicos, a ideia é não “polemizar”. Algumas cenas já estavam sendo cortadas, como o próprio Rodrigo Andrade divulgou em seu twitter não saber o motivo. O único personagem que foi permitido sem censura foi Roni, o que não era de se surpreender, o típico gay afetado que a Globo adora “polemizar”, como o personagem de André Gonçalves na novela das sete. A desculpa é que a Globo é um veículo de massa e que tem a obrigação de zelar por todos os públicos.

    É de sentir nojo de uma emissora de televisão que faz uma palhaçada dessas. Cadê a liberdade de expressão? É uma ditadura dentro do próprio canal que os autores sofrem e são obrigados a cumprir, independente de quantas cenas escrevam sobre o assunto. É permitido matar por vingança, roubar, enganar, humilhar, mas mostrar uma trágica realidade que se encontra a cada dia nas ruas não é permitido. Pai e filho são agredidos na rua e pai tem orelha decepada por vândalos que os consideravam gays e a novela não pode mexer no assunto? É como se sentir impotente diante da brutalidade de alguns muitos ignorantes. Quando isso terá fim?

    • admin says:

      Putz, se isso for verdade, vai ser muito caído!!!!

    • admin says:

      É você tem razão segue uma copia da tal coluna:

      Globo corta cenas e bandeira gay de “Insensato Coração”

      A Globo resolveu jogar um balde de gelo nos gays de “Insensato Coração”.
      A Folha apurou que os autores da novela, Gilberto Braga e Ricardo Linhares, foram chamados na semana passada para uma conversa com o diretor-geral de entretenimento da emissora, Manoel Martins. Na pauta: a determinação da Globo para que a história dos homossexuais Eduardo (Rodrigo Andrade) e Hugo (Marcos Damigo) fosse completamente esfriada no folhetim.
      As novas cenas de Hugo e Eduardo, assim como as cenas de conversa sobre o assunto entre Eduardo e sua mãe, vivida por Louise Cardoso, serão inutilizadas.
      Aos autores e atores a Globo pediu silêncio. Nada de instigar o beijo gay nem a ira de entidades que possam encarar a iniciativa como preconceito. A ordem é esfriar o assunto sem polemizar.
      Além do corte das cenas, os autores foram instruídos a não carregarem bandeira política, a pararem de fazer apologia pela criação de uma lei que puna a homofobia. Já as cenas engraçadas do personagem Roni (Leonardo Miggiorin) estão liberadas.
      Procurada, a Globo, via assessoria, diz que a televisão é um veículo de massa que precisa contemplar todos os seus públicos e faz parte do papel da direção zelar para que isso aconteça.

  4. Cara Comum says:

    Eu penso que não existe uma pessoa em específico. Acho que tem a ver com muitas pessoas. As pessoas que prezam pelo papel conservador que esta emissora representa. Da “respeitabilidade” e dos “valores da família”… Afinal, a Globo sabe que a hipocrisia impera. E ela apenas dança conforme a música. Ela não está disposta a desagradar uma audiência cativa porque sabe que não precisa inovar, se adequar a realidade. Basta fazer o mais do mesmo que ela vem fazendo em sua existência: alienando, autoafirmando-se único modelo de televisão. Assim, ela terá seu público garantido, porque o público não quer mudar. O público quer ficar na sua zona de conforto. Então, pra que mexer?

    Eu não gosto de novela, mas é apenas gosto pessoal. Não creio que quem goste é menos inteligente por isso. Inclusive conheço pessoas de inteligência invejável que não perdem um capítulo de ao menos um dos folhetins… Para mim, novelas e nada dão no mesmo, mas reconhecendo sua repercussão, afirmo que algo está sendo feito, na contramão, contra a corrente. Mas só por parte dos autores e atores.

    O fato é que, por estar com o rabo preso nessa audiência, uma hora a maré vira e aí a Globo vai ter que acompanhar a mudança. Mas vai ser a última emissora a dar o braço a torcer, com certeza!!

    Abraços!!

  5. Papai Gay says:

    Pelo menos o homofóbico agora tem nome!
    Manoel Martins

  6. Oziel Leal says:

    Não acho que tenha uma pessoa específica. Infelizmente a Globo não faz arte, pois arte é incensurável. A Globo reproduz valores, não transforma, nem se importa com isso. A ideia é o lucro e a audiência, quanto mais, melhor. O dia q o brasileiro gostar de ver beijo gay, vai ter.

Leave a Reply to Foxx Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *