Será que ele é?

O tempo todo sou questionado sobre a época que mantive um relacionamento heterossexual por mais de 10 anos. Se por isso, eu não seria bissexual? Bem… A explicação é sempre a mesma: Sou gay e sempre fui, mas transar é bom, e é sempre melhor que masturbação, né?

Pense comigo: Se o mundo fosse realmente gay, de verdade, sem aquela palhaçada de o ser apenas da boca pra fora, mas que fossemos criados em uma sociedade onde o correto fosse namorar, casar e criar uma família com pessoas do mesmo sexo, iriamos todos transar entre iguais na maior naturalidade. O “normal” seria homem com homem e mulher com mulher, portanto, homens e mulheres que quisessem se enquadrar na sociedade iriam todos praticar sexo gay. Isso os torna gays? CLARO QUE NÃO! Seus atos foram guiados pela norma vigente daquele tipo de sociedade homocêntrica. Então, me explica a confusão quando digo que fui casado! Não existe conflito algum. Posso transar com mais mil mulheres e continuarei gay. E por analogia, um cara que der o rabo não significa, necessariamente, que seja gay. Nada a ver! Existem mil razões, que desconhecemos, e que podem levar um sujeito a praticar sexo gay: libertinagem, confinamento, falta de opção, dinheiro, experimentação, e por aí vai… Ele é gay? Depende. Fato é, que não existe um código, um manual, uma explicação fácil para definir o gay. O homossexual precisa se sentir atraído pelo cheiro, pelo toque, pela genitália, por tudo que compõe o universo gay. Não é necessariamente carnal, mas holístico. Quando não existe essa conexão mais profunda, não se pode tirar nenhuma conclusão precipitada sobre a sexualidade de ninguém.

Vamos, então, deixar de tirar conclusões precipitadas – isso é para todas as minhas amigas que cismam que eu tenho um “gaydar” que apita pra qualquer pintosa que cruzar na minha frente – sobre a sexualidade alheia. Sei lá se fulano é gay ou não! Parem de me perguntar isso! Não sei, e nem quero saber. Principalmente porque, na maioria das vezes, quem quer saber isso é porque foi largado, ou porque a pessoa não deu bola. Se um homem rejeita uma mulher, tá ferrado, segundo ela, ele só pode ser gay! Eita forma baixa de terminar por cima. Não é o cara que não a deseja, pura e simplesmente, e sim porque ele não gosta da fruta. Que golpe baixo! Mas enfim, vamos ser um pouquinho menos prepotentes e entender que para se definir a sexualidade alheia é necessário muito mais do que ouvir a intuição.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in assumir, blog, gay, homofobia, opinião, papai gay, Pensamentos, preconceito, virando gay. Bookmark the permalink.

4 Responses to Será que ele é?

  1. Foxx says:

    excelente texto. concordo com tudo mesmo.

  2. Eduardo says:

    HAHA Lembrei da minha irmã me perguntando se o fulano cantando no Raul Gil era gay. Gente, eu ri. Disse que era normal um garoto de 14 anos ter a voz fina. Nada demais. Esse papo de gaydar às vezes cansa.

  3. Alisson says:

    Oi,tudo bem?

    Concordo em partes com o texto.
    Acho esse papo de “sociedade heternormativa” um tremendo papo furado,uma bela desculpa para um gay enrustido para permanecer no armário.

    Por que é fácil por a culpa na “sociedade heteronormativa”,culpar os outros pelos nossos próprios atos,o difícil é NÓS MESMOS buscarmos nossa felicidade independente do que os outros vão pensar,independentemente da sociedade que se vive.

    Também penso que esse papo de “gaydar” uma besteira tremenda,cada um com a sua sexualidade,é algo particular e não deve ser violado e nem espalhado aos quatro cantos como um troféu.

    Por isso eu também ache essa história de “orgulho gay” e “orgulho hétero” de uma falácia tremenda.

    No caso de pessoas experimentarem relações sexuais diferentes de sua orientação sexual,concordo em partes também.Um homem heterossexual pode experimentar transar com outro homem ou tentar o sexo anal,a experiência individualmente não define se ele é gay ou não,o mesmo vale para um homossexual com relação as mulheres.

    Experimentou uma vez,não gostou,viu que não era a sua praia,ponto final!!

    A diferença está,se esse cara gostou da experiência e passa a praticar frequentemente o sexo com outros homens,aí é diferente…
    Algo há com esse cara!! Não acho que ele continue 100% heterossexual ou 100% homossexual, alguma tendência bissexual reprimida e que foi despertada com essa experiência.

    Acredito nisso,NINGUÉM é e nunca foi “obrigado” a gostar ou transar com mulher,se fez isso?! foi por livre e espontânea vontade,algum desejo ou atração houve para isso.

    Lutar para viver a própria vida,sem se importar com opiniões de terceiros,somente os corajosos e bem resolvidos sabem fazer!!

  4. Lucas says:

    Eu acredito num tal de gaydar. Mas não tenho um bom argumento agora, ou só não estou a fim de discutir isso.

    Comecei a gostar de um cara, e agora ele está namorando uma garota. Seu texto alimentou um pouco as minhas esperanças de que ele seja como você, passe anos com uma mulher mas depois… bem, sei lá o que vai acontecer depois.

    Abraço,

    Lucas

Leave a Reply to Lucas Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *