Sobre mim.

Ainda por me descobrir.

Você que leu meu blog será a melhor pessoa para me definir.

Sou o que você quiser.

Mas quero fazer uma diferença no seu modo de pensar.

email para contato: papaigay@hotmail.com

46 Responses to Sobre mim.

  1. Caio says:

    Olá, meu caro.

    Gostaria de contatar vc por e-mail, mas não consegui encontrar aqui no site um endereço para o qual pudesse enviar a mensagem. Vc se importaria de me enviar um e-mail para eu poder entrar em contato com vc? É que, depois de muito tempo (e de perda de tempo tb!) acabei encontrando em seu blog (agora site) um conforto e uma compreensão que já estava pensando não existirem!

    Assim, se pudermos trocar umas idéias, por favor me dê um alô no carabi31@gmail.com

    Valeu!

    Um abraço, Caio.

    • Papai Gay says:

      Meu email para contato é papaigay@hotmail.com mas entro pouco. O melhor mesmo é pelo site que visito sempre… Se quiser mandar comentário particular eu não aprovo e você desabafa…

      • Débora says:

        Olá,
        como você disse que não entra no seu mail decidi postar este recado. Trabalho em uma produtora de video onde pretendemos fazer um documentário para falar sobre pais e mães homossexuais. Acho importante explicar esta questão e esclarecer algumas dúvidas para diminuirmos o preconceito. Gostaria de conversar sobre este assunto com você, podemos nos falar por e-mail?

        Desde já agradeço sua atenção.
        abçs e parabéns pelo site!!!

        Aguardo retorno.
        Abçs

  2. Montania says:

    O subproduto básico da viadagem esse blog, né? Naveguei um bocado e não consegui encontrar nada que me convença de qualquer porcaria, nem contra nem a favor. Esse negócio de ficar falando mal de Bolsonaro, governo, kit anti-gay, adoção de filhos por casais homoafetivos, é pura perda de tempo. Porquê homossexual não se torna uma pessoa normal e, pura e simplesmente, vai cuidar da própria vida ao invés de ficar se nivelando com travestis de esquina? Creiam vocês: é fisicamente impossível seres humanos do mesmo sexo gerarem filhos ! Então, pra quê tentar convencer uma criança normal e em crescimento de que ela tem dois pais ou duas mães. E não estou dizendo que homossexual não é uma pessoa normal. Creiam também: homem se veste de homem e muda de voz na puberdade ! Falar que nem… que nem… (sei lá o que parece aquilo) não femininiza (será que esse verbo existe?) ninguém. Nem colocar mini-saia ajuda um peludo a arrumar homem que valha a pena. Na outra ponta, sapatos maiores que o pé, calças jeans, camisas de botão e ausência de soutien não auxilia em nada a procura de namoradas. Portanto, HOMOFOBIA é coisa de sapatão para sapatão, travesti para travesti (palavras pejorativas mesmo!). Sou funcionário público e tenho dezenas de amigos e amigas homossexuais. Nunca vi um desses e que se aproveite, que eu reconheça como gente inteligente, envolvido com essa imbecilidades de paradas e gays e movimentos GLS, GLBT, GLDCU, GLXBU. Aliás, o que encontramos em paradas gays: um bando de drag-queens e travecos. Vou parar de escrever por motivos óbvios… mas que tenho assunto, isso tenho !!!!!!!!!!

    • Papai Gay says:

      Que pena que você é funcionário público. Suas palavras são entupidas de preconceito. E te garanto que os gays que você conhece não se envolvem em ações contra a homofobia por pura falta de coragem de enfrentar pessoas bitoladas como você!

      • Andrei says:

        Adorei o ‘bitoladas’. E outra, ele usa muito a palavra ‘creiam’. Vejo igreja nisso aí

        • Funcionário Público says:

          Pô, Papaigay! “Que pena que você é funcionário público” hã?! isso não tem nada a ver com o fato de esse aí ser um bitolado. são coisas distintas… eu sou funcionário público E gay. Por fim: se esse “Montania” fosse assim tão hetero ele não ficaria “navegando um bocado” como ele mesmo disse.

          • admin says:

            O que eu quis dizer é que ele está poluindo o funcionalismo público, não me interprete errado, please!

  3. Valéria Cavalcante says:

    Olá,
    Estou escrevendo para dizer o quanto gostei do seu Blog, encontrei através de uma reportagem no site UOL.
    Participo de uma comunidade homossexual, sou hétero, mas, acabei me apaixonando pelos meninos que participam e para alguns virei mãe, tia e grande amiga deles. Tenho certeza que o seu Blog irá me ajudar muito.
    O meu trabalho com eles é um resgate, mas não no sentido de fazer com que deixem de ser o que são, mas de aceitar-se da melhor forma possível. Digo sempre a eles que gostar de outro homem não faz morrer o homem que existe em cada um deles.
    Parabéns pelo Blog!
    Valéria Cavalcante

    • Papai Gay says:

      E eu completei essa sua afirmação dizendo em um outro post que amo tudo do homem que exite em mim, meu cheiro forte, minha mão pesada. Ser gay não é uma afirmação do meu lado feminino e sim o contrário. Ser gay me faz mais homem.

  4. adriano says:

    Oi Colega,

    Paraéns pela postura de vida, pelos ideais, pela coerêcia em enfrentar esta batalha que tantos evitam. Não acredito que devamos nos posicionar à margem dos fatos, sem nos integrarmos à realidade da educação brasileira.
    Quem esta no dia-a-dia em sala de aula e vê a aflição dos alunos, as dúvidas, incertezas é quem sabe melhor como agir sobre a moralidade velada e desconsideradora das idissincrasias dos alunos e as nossas também, procurando direcionar os educandos para uma percepção de si, do outro e do mundo, mais humanizada, mais afetuosa, que percebe o homem e mulher como um todo indiviso.
    Somos quem somos, e o que nossa história e percepções conquistaram, e não o que sentimos por nossos pares. Somos ímpares, todos nós, e nem por isso deixamos ou deixaremos de (re)educar. Siga em frente.Tens meu apoio de educador e admiração.

    Paz e bem sempre!

    Adriano.

  5. Wil says:

    Nossa, muito chocante o seu filme!!! Em todos os sentidos!!! E isso é um elogio!!!!! Parabéns, cara!

  6. Alex says:

    EU AMEI SEU BOLG E VOCÊ É MUITO LINDO.
    EU VEJO SEU SITE TODA SEMANA.
    BJSS

  7. Alex says:

    VOCÊ DEVE CONTINUAR COM ESSE SITE PORQUE É MUITOOO BOOMM.
    *-* S2

  8. Luan Lima Silva says:

    acho que vc lembra de min neh? da foto e td mais?
    entao o meu namoro acabou, e eu quero muito voltar com ele mas nao sei oq fazer! me ajuda? 😀

    • admin says:

      Não sei do que você está falando… Da foto? Que foto? Mas, fica o meu conselho. Se ele não quer, não força, ele pode acabar enjoado de você…

  9. Eduardo says:

    Simplesmente uma delícia ler seu blog.
    Sou gay e adorei descobrir que tem cabeças pensantes gays.
    Bjos
    Em 2012 virarei leitor assiduo…rsss

  10. Caíque César says:

    Parabéns!

  11. Ale says:

    o seu filme Tunel Russo é muittoooo bom
    e vc é muito lindoo s2
    =D

  12. Maurício Machado de Moraes. says:

    Papai Gay,
    Quando puder veja os meus e-mails.
    Eu passei várias mensagens para o senhor.
    Espero que gostei.
    Cordialmente,
    Maurício.

  13. Rodrigo Branquinho says:

    Olá! Tudo bem?
    Há algum tempo atrás eu conheci este site através da Ômega Hitz. Mas nunca parei pra ler mesmo, ver detalhes, etc. Só hoje fiz isso. E fiquei maravilhado com as coisas que escreve, suas opiniões, sua visão. Lutar contra o preconceito e a intolerância é algo constante.
    Sou professor de Matemática da rede estadual de Goiás. E, sempre que possível, gosto de bater um papo com meus alunos, sobre preconceito, homofobia, respeito às diferenças. Para minha felicidade, a maioria dos meus alunos são tolerantes e respeitadores.
    Por tabela, tb conheci e gostei do blog do seu filho. Pena que ele não escreve há um bom tempo.
    Mas, de todo modo, é mais um blog para que eu visite sempre. Espero que vc continue firme e forte aqui, se expressando.
    Bem, acho que falei demais já. Me torno aqui mais um leitor assíduo.
    Forte abraço
    Rodrigo Branquinho – Goiânia – GO

  14. Caíque César says:

    Nossa, é incrível como concordo com os seus pensamentos e filosofias de vida. Parabéns por saber expressar tão bem tudo o que se passa contigo! Sigo vendo seus postes.

  15. Danilo Monezi says:

    Parabens pelo Blog…

    Amei…

    São poucos os que teem sua vontade e cultura…

    Parabens…

  16. Pedro Rodrigues says:

    Cara, foi muito legal encontrar seu blog. Hoje tenho a mesma situação, tenho um filho de 5 de 8 anos, minha mãe, família, amigos de trabalho, todos já sabem, exceto os papagais e cachorros, porque não os tenho… rsrsrrs Mas as paredes estão cansadas de saber… rsrrsr

    Mas falta os filhos, eles desconfiam, a medida que a mãe deles tem armado alguns barracos pra cima do meu namorado atual (ela ainda acha que tem chance), tudo fica mais evidente, e vejo a dúvida nos olhos deles. Vejo que o “momento” se aproxima.

    • admin says:

      Não tenha medo, e conte logo antes que o preconceito seja embutido em suas almas… Leia o meu post intitulado “Papai é gay, meu filho”

  17. Hélio Filho says:

    Oi Maurício, tudo bem? Sou editor da revista H Magazine (irmã da Junior, que já conversou com você) e estou entrando em contato porque queremos contar sua história de paternidade em nossas páginas da próxima edição, a de outubro. Queria saber se você topa dividir sua experiência conosco e com nossos leitores, claro que a gente aproveita também para divulgar o blog, que é tão legal.
    É um relato pessoal seu em nossa seção “Eu leitor”, que tem em média quatro pagina com foto. Nossa intenção é mostrar que é absolutamente possível, e normal, ser pai e gay ao mesmo tempo. O que me diz? Vamos fazer? Fico no aguardo, abs!!

  18. Dynamo says:

    Boa Noite, interessante seu blog, interessante também a homenagem e ao mesmo tempo o desabafo de seu filho Bryan sobre ter um pai gay.
    Não tenho filhos no momento (mas no futuro pretendo ter) mas tenho um enteado no qual sabe sobre sobre nós (seu pai e eu) e me trata como se eu fosse o seu pai também, a unica pena que tenho é que sua mãe não aceitou muito o fato de seu ex marido encontrar outra pessoa e essa pessoa ainda por cima ser do mesmo sexo, então ela coloca a criança contra o pai tantas vezes que a pobre alma fica confusa.
    O pequeno está com 11 anos de idade e eu estou tentando cuidar dele ao máximo, num futuro não muito longo meu namorido está pensando em pegar a guarda dele, assim podemos ser uma familia de verdade.
    Vou continuar acompanhando seu blog e já adicionar nos favoritos, quem sabe poderemos ser amigos.

    =)

    • admin says:

      Bom, foi exatamente o que aconteceu comigo, minha ex no começo colocava meu filho no caminho e também não aceitava eu tê-la trocado por um homem. A questão só foi melhorar com a maioridade do meu filho e o desvinculamento de laços financeiros. Sinto muito, mas minha experiência não foi das melhores. Hoje em dia nos damos muito bem, mas custou. Quanto a pedir a guarda, acho muito improvável, e nem é pelo fato dele ser gay, mas porque os juízes sempre preferem as mães, a não ser que ela seja muito porra louca mesmo. Espero ter ajudado, abraçao!

  19. Dynamo says:

    Imagine uma mulher que tentou se suicidar e disse que iria levar a criança junto…
    É chata a situação.
    Vejo que vai ter atualização no seu blog, que legal. =)

  20. Flor says:

    Boa noite!

    Gostei muito do seu blog e preciso de ajuda mesmo.
    É o seguinte tenho mts amigos gays, nunca tive preconceito, pelo contrário meus melhores amigos são gays.
    Daí tenho conheci um rapaz de 21 que quando eu conheci ele namorava e eu também, ele terminou o namoro dele disse que se apaixonou por mim e eu também me apaixonei por ele, ele me envolveu COMPLETAMENTE!
    Daí me chamou pra namorar , disse que estava apaixonado, me chamou pra viajar, fazia mil planos comigo até que por duas vezes fomos pra cama e ele brochou comigo.
    Da primeira vez achei normal, pensei q ele pudesse estar nervoso, daí na segunda ele chegou e se abriu comigo… disse que estava sentimentalmente envolvido comigo, que tinha tesão no meu corpo,( e eu sentia isso o tempo todo até que quando no meio da penetração acontecia isso)mas que desde novinho ele sentia atraçao por corpo masculino. Tomei um superrrr susto na hora, morri de chorar, pq ele nunca deixou transparecer nada, aí ele me disse q já ficou com 2 homens e q não queria isso pra ele que chegava em casa ficava com nojo dele, q via td que queria de uma mulher em mim mas estava confuso, que nuncaaa tinha contado isso pra ninguém, so pra psicologa e que não queria que eu me afastasse que ele gostava de mim mas não queria me enganar ds duvidas que ele tinha.
    Ele queria mudar isso.
    Ele me disse q teve outro namoro e q o outro namoro dele acabou pq ele não conseguia sempre satisfazer a namorada dele, que isso acontecia mt, e ela nao entendia o pq.
    Aí eu disse pra ele que ele estava usando uma fuga pra nao assumir oq ele era, q estava com preconceito com ele mesmo.
    Enfim estou apaixonadaaaa é como se eu não conseguisse aceitar que o cara perfeito que eu conheci que me pediu pra namorar falou q estava apaixonado e me mostrou isso é gay entende?
    Mas não acredito em ex gay, acredito em homens infelizes que se escondem de si mesmos.
    Fiquei mt brava achei q ele me usou mas nem consigo ter raiva, td que eu queria era ele de volta.
    O que eu faço?
    Estou certa né? não existe ex gay né?
    Ele é gay? é bi?
    To mt confusa e não me canso de chorarrrrr por favor me responda em meu e-mail te peço muitoooo isso!!!

    • admin says:

      Olha só querida, acho que você já tem todas as respostas, só não quer acreditar. Achoq ue não precisa ter raiva dele jamais, pois ele só se protege da sociedade que o condena. Fui casado, tenho um filho! Enganei minha mulher? Sim e não, pois me enganei também. Só não ache que ele vai deixar de ser gay pois é IMPOSSÍVEL! Tirei sua idade do seu comentário e publiquei sim, não tem como saber que é você, né? É muito importate que outras pessoas leiam isso. Meu conselho é para que nao se desespere, talvez vocês encontrem uma maneira de serem felizes apesar das orientações sexuais. Só que não acho que dê para se manter um relacionamento assim à longo prazo, a não ser que você permita que ele transe com homens também, pois essa vontade não vai passar jamais.
      Grande beijo do Papai Gay

  21. Larissa Zanardo says:

    Olá! Inicialmente gostaria de parabenizar a iniciativa do blog, escrevo a vocês pois necessito da ajuda de vocês que são amigos da causa da homoparentalidade. Sou psicóloga e estudante de pós-graduação em Psicologia da UNESP- Assis e gostaria de solicitar a colaboração em divulgar ou até mesmo fornecer meu contato (larissa.zanardo@hotmail.com) caso conheçam pessoas com as características que informo abaixo. Realizo minha pesquisa de mestrado com o título ‘LAÇOS DE AMOR: DA CONJUGALIDADE HOMOAFETIVA À HOMOPARENTALIDADE POR VIA DA ADOÇÃO’ na qual para sua execução necessito da colaboração em forma de entrevista concedida a mim de pares de mesmo sexo biológico, que convivam em união e que possuam filhos por via da adoção, ou que estejam pleiteando a mesma, com o intuito de melhor compreensão sobre este fenômeno atual e de uma forma mais abrangente buscando o aumento de conhecimentos e divulgação relativos às questões da homoparentalidade. Neste momento apresento muita dificuldade em encontrar casais de homens, já consegui o número que julgo necessário de casais de mulheres, por isso gostaria muito de poder pelo menos ter acesso a alguns casais de homens, qualquer informação de contato me ajudaria muito!
    Desde já sou muito grata, aguardo o contato e ajuda de vocês!

    Atenciosamente, Larissa Zanardo

  22. José Soares says:

    Parabéns pelo teu Blog e pelos comentários k postam, vejo k tens tido um sucesso enorme no atingir das metas a k te propões.
    Tal como tu, tb sou mais um pai homossexual e garanto-te que o auge da minha liberdade surgiu qd ganhei a coragem suficiente para contar aos meus filhos (um casal de gémeos), quem eu era na realidade.
    Desde logo eles aceitaram na boa as minhas opções sexuais. Na altura em k lhes contei eles tavam com 14 anos e hoje com 19 anos, continuam a aceitar-me tal como sou. A mim e ao meu companheiro!
    Muitos parabéns pelo homem k és e votos dum 2013 livre da homofobia, não só em Portugal (o meu país), como no Brasil e no MUNDO INTEIRO!

    • admin says:

      Bom saber que seus filhos, já mais crescidos que o meu quando contei, não te rejeitaram. Obrigado pelos elogios e volte sempre!

  23. Raquel says:

    Observei que o Sr.Montania diz,ter vários amigos homossexuais(homens e mulheres)e que nunca viu um deles ser grande coisa.É hora de você rever seus valores e submeter-se ao um tratamento,porque chamá-los de amigos e depois desvalorizá-los!?Denota no mínimo que você além de se considerar inferior ,estranhamente precisa “fingir” uma amizade pra estar perto desse “mundo gay”.

  24. Cristiano says:

    Cara, teu site é muito interessante, fiquei horrorizado ao ver o vídeo do rapaz queimado vivo na África. Muito triste essa situação, muito triste em saber que existem lugares onde você não pode ser você mesmo. Percebi também que você não atualizado o seu site, não sei se é isso, mas acho que você não deveria para com ele, pois suas postagens e informações são muito importantes para esclarecer e abrir a cabeça de muitas pessoas.

    Fora sua história de vida a respeito do teu filho, muito interessante e legal você mostrar isso, enquanto muito escondem. Sorte e sucesso sempre!!!!

  25. João Paulo says:

    Boa noite Papaigay!

    Me chamo João e tenho 21 anos e gostaria de parabeniza-lo pela iniciativa de expor um pouco da sua experiência e ajudar na causa LGBT. Acho de suma importância atitudes como a sua para poder conscientizar ao máximo a população na conquista básica de direitos que todos merecem.
    Recentemente venho discutindo questões de gênero e igualdade sexual na minha sala de aula(faço o curso de psicologia) e esbarramos em diversas questões quanto a identidade sexual e a rotulação dos indivíduos em sociedade e o quão maçante é o machismo enraiado na mesma. É um cumulo ter que viver recriminado por ser feliz, por ter que viver com medo constante de ver seu parceiro com risco de sofrer algum tipo de violência. Isso me incomoda muito e só aumenta o meu desejo de ser psicólogo e poder ajudar a transformar o mundo em um lugar mais harmonioso.

    Aproveito para pedir certo auxilio, pois não faz muito tempo que me assumi como homossexual e ainda não pude contar para minha família, com ênfase em especial para minha mãe. Venho de uma família um tanto quanto conturbada e emocionalmente desestruturada, a ponto de chegar a pensar que o fato de eu gostar de um homem seria um desgosto e desonra para a mesma.
    Minha mãe sempre foi bastante liberal neste sentido, mas uma coisa é a situação ocorrer com terceiros e outra coisa é o que acontece com nossos filhos. Não sei como reagir, ou até mesmo como contar…isso vem me sufocando e tirando meu sono há algum tempo.

    Enfim…obrigado por seu empenho, obrigado pelo seu sacrifício em prol da causa e por fim obrigado pela paciência em ler este e-mail.

    Parabéns pelo seu ótimo trabalho

    com carinho

    João

    • admin says:

      Bom, João… primeiro não posso opinar sobre sua mãe ou sua família. Se vão aceitar ou não, se você deve ou não, mas se você tem alguma dúvida quanto a aceitação deles, a melhor coisa é virar independente. Não precisar financeiramente dos seus pais. você já tem 21 anos, racha um ap com algum colega, vai à luta. Segundo, não perca seu sono pensando como eles vão reagir, se vão te aceitar, e blá, blá, blá… Isso é problema deles. Elesque têm um problema e não você. Enfim, siga sua vida tranquilo.

  26. mau says:

    Boa tarde papay gay
    minha história é bem parecida com a sua, só homens que chamava a minha atenção desde a minha fase criança e adolescência..
    criança: quando eu era criança era atacado por meninos maiores só que eu não sabia me defender e meu s pais deixava solto não tinha cuidados eu sofria ao mesmo tempo era gostoso e proibido.. fui crescendo e reprimindo isolando sempre com medo do mundo tinha até medo de sair na hora recreio na escola porque eu não misturava com os meninos por não sentir protegido só ficava o tempo todo ao lado de uma amiga.. eu sofria bully mas não conseguia passar para minha mãe tud aquilo que eu sentia muita tristesa ela tinha um monte de filhos e cuidar sozinha porque meu pai nunca ajudou nunca deu carinho principalmente a mim por já ser diferente ele era bruto comigo eu era o filho mais sensivel. que precisava de ajuda… mas enfim fui crescendo aprendendo sozinho encarar as pessoas se defendendo do mundo e aquilo não aconteceu mais dos garotos mais velhos aproveitar porque já existia vergonha..
    quando eu estava com 17 anos foi quando descobri o orgasmo nunca tinha masturbado antes eu era um garoto lindo que chamava muita atenção foi quando eu comecei a trabalhar numa empresa tinha um cara que era casado ele era muito brincalão ele começou a sempre brincar comigo.. olha no fundo dos meu olhos aquele olhar dele me deixava com as pernas bambas e sem entender aquilo que eu estava sentindo.. não vejava a hora que chegasse o dia para poder ver aquele homem nem era bonito mas ele me seduzia ele passava perto de mim e tocava em mim como se foi sem querer e aquilo foi crescendo até que ele chegou agarrar olhando nos meu olho eu sem sentir as pernas com tremor cala frio uma sensação deliciosa que nunca na minha vida tinha sentido querendo beijar minha boca eu lutando com ele mas no mesmo tempo querendo amolecer se entregar.. ai foi que com meus 17 anos descobri a sensação do gozo eu me acabava de masturbar pensando naquele homem que chegou até tirar as calças mostrando aquilo que eu mais queria ver.. só que o medo tomou conta de mim e passou anos e anos eu comecei atem conflito comigo eu era homem tinha que namorar mulheres aquilo era contra Deus..começei a namorar uma garota ele parou de dar em cima .. depois ele saiu da empresa e nunca mais vi..os anos se passou eu queria ser o garanhão o pegador saia com as garotas transava era muito bom cara bonito cheio de charmes as meninas davam em cima mesmo sem dó.. mas eu nunca levava a sério com garotas nenhuma só queria ficar, aos meus 26 anos conheci uma garota de 16 anos linda começamos a ficar e fomos ficando cada vez mais sério que aquela garota fez passar tudo aquilo que estava reprimido dentro de mim falei comigo mesmo ela me curou não sinto mais aquelas tentação de sentir tração por homens namoramos um ano ela queria de toda forma sair da casa dela queria casar foi esforçando a barrra que ficamos noivos por ter falado que estava gravida nos transava loucamente sem camisinha e sem tomar remédios só usando a tabelinha até que ela disse que estava com a menstruação atrasada foi que tem procuramos médico nada marcamos o noivado ele queria casar para que os pais não sabia porque era o sonho da mãe dela casar de noiva.. depois que ficamos noivos a menstruação veio e nos felizes por querer dar um passo a nossas vida eu me sentia protegido com ela porque mostrei as pessoas que eu não era gay eu nunca queria ser gay queria ser normal coisa da minha cabeça..
    depois de 3 mês de noivado eu pensei assim não vou casar agora vou dar um tempo nem sabia que eu queria e tinha medo daquele sentimento dentro de mim foi quando ela veio e falou para mim que casaria comigo até um período que ela estipulou ja estava comprando móveis etc… foi que marcamos o casamento daqui 4 mês eu com 28 anos ela com 18 casamos não foi fácil minha vida de casamento por ela se muito ciumenta, autoritária entrava em atrito muitas brigas diferenças era difícil . com 5 mês de casamento ela engravidou sem estar preparada para ser mãe a minha vida mudou mesmo gravida nos brigava que até separamos mas esse filho nos uniu ela esteve uma gravides de risco muito difícil o bebê nasceu com 8 mês graças a Deus perfeito.. consegui relevar o casamento até quando ele tinha três anos e meio só ele me fazia feliz já não sentia mais nada a minha esposa era muita magoas brigas que morreu aquilo dentro de mim.. e tudo aquilo que estava reprimido voltou de uma forma grande que eu já era mais experiente entendia mais sobre o assunto foi que eu pensei em mim que eu precisava buscar a minha felicidade e abrir o caminho para ela ser feliz com auguem..eu só pensava não conseguia falar com ela ao assunto porque não era compreensiva tudo era motivo de brigar ela tinha me anulado de uma forma tão grande que eu não sentia ser auguem já tinha perdido todos meus valores de ser humano. .só sentia vontade de morrer e dormir o meu filho que era minha vitamina de animo sabia que precisava viver e cuidar.. com quatro anos e oito mês de casamento não aguentava mais e meu filho com três anos e meio numa briga eu tive coragem de sair de casa e voltar com meus pais, só que ela não aceitava a separação foi muito difícil mas tocamos nossas vida.. ai quando estava separado libertado foi que já existia internet computador comecei a buscar todas as minhas duvidas e desejos foi que descobri que eu sou gay nunca mais consegui relacionar com mulheres meus desejos são por homens.. e fui levando minha vida dando meus pulos sem envolvimento emocional.. nem poderia envolver por motivo de final de semana meu filho queria ficar comigo.. se passou 11 anos de separação hoje estou com 43 anos meu filho com 14 ele já vinha com desconfiança de mim sempre jogando indiretas e deixando claro que não gostava de gay que ele é homofóbico ele começou me vigiar pelas internet e descobriu os lugares que entrava.. foi quando ele teve a certeza que eu era gay.. ele surtou tentou suicídio da forma dele para chamar atenção e dizendo que eu não era mais pai dele que nunca mais vinha na minha casa.. já se faz mais de 3 mês agora ele começou me procurar atacando sem nem um respeito não consigo falar com a mãe dele porque me ofende.. me sinto triste perdido sozinho traido querendo meu filho de volta não sei que fazer já pensei em dar um final na minha vida.. sei que ele precisa de mim preciso de ajuda por favor…

    • admin says:

      Bom, realmente nossas histórias se parecem muita, a diferença é que eu contei pro meu filho quando ele tinha 8 anos, assimnão deu tempo dele virar homofóbico, cresceu com a idéia e por isso se tornou algo natural seu pai ser gay. É difícil opinar no seu caso. Mas, mesmo assim vou fazer. Acho que deve começar aceitando que seu filho está doente e que precisa de tratamento, pois ser homofóbico é, pra mim, uma doença que precisa ser tratada. Com conhecimento talvez, ou quem sabe psicólogos, não sei se você conseguirá fazer isso sem ajuda. Mas, antes de tudo, SE ACEITE, não se culpe. Você não contou quando era novo, correu esse risco. Agora a merda tá feita. Se for realmente impossível a conciliação. Deixa quieto por um tempo, talvés anos, não sei, mas a sociedade está mudando, e cedo ou tarde ele irá mudar ou ir preso. Pois, a tendência natural das coisas é que a homofobia vire crime. Enquanto isso APROVEITE A SUA VIDA. Namore muito, VIVA. Já chega tudo que já sofreu até agora,né? Se concentra em você e a sua felicidade. Boa sorte!

  27. admin says:

    Muito interessante, pois sempre quem entra em contato comigo são pais gays, mas pela primeira vez tenho um filho querendo ajuda. Olha, talvez meu próprio filho de 23 anos pudesse te ajudar melhor do que eu, mas vamos lá. Se for o caso eu peço pra ele entrar em contato com você também. Vou ser um pouco curto e grosso. Acho que não cabe a você aceitar ou não aceitar absolutamentenada. As coisas são como são. Não entendo esse negócio de que fiho tem que aceitar a sexualidade dos pais. NÃO TE DIZ RESPEITO. Ele não vai transar com você, vai? Assim como não diz respeito a ele quem VOCÊ escolhe ir pra cama. Acho que você já tem certeza que ele é gay, então pra que perguntar, ou tocar no assunto? Quem tem que estar preparado pra “sair do armário” é ele, e você tem apenas que dar apoio. Caso haja uma abertura em alguma conversa , fale naturalmente sobre o assunto. Mas DEFINITIVAMENTE não cabe a você e nem a ninguém julgá-lo. Você pode sim, criticar a forma que ele te criou, talvez o fato dele não ter partilhado isso com você… Sim, pois eu contei ao meu filho quando ele tinha 8 anos, assim não teria essa de aceitar ou não, era um fato. Papai era gay, ponto.

Leave a Reply to admin Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *