Criança gay não é como Papai Noel: EXISTE!

Para quem duvida, vou esclarecer. De onde vieram todos os gays que vemos por aí? De outro planeta? Já nasceram adultos? Eram hoterosexuais até o fim da adolescência? A resposta parece óbvia, mas pelos comentários que recebi no meu último post, no qual eu mandei uma mensagem a todas as crianças gays, tem muita gente que acha que gay é uma opção do universo adulto. Acho que esse pensamento só pode ter surgido do medo incontestável da maioria dos pais de não ter, de forma alguma, um filho gay na sua casa. Mas todo gay sabe que a gente não vira gay de uma hora para outra, né? Tem todo um processo, árduo e penoso que passamos até aceitarmos nossa condição gay.

Desde muito novo, lá pelos meus 5 ou 6 anos eu já havia me dado conta que era gay. Sabia exatamente o que isso significava: ser atraído pelo mesmo sexo. Eu me apaixonava pelos amiguinhos, pelos amigos do meu pai, pelos porteiros, mas é claro, tudo dentro da inocência e cabeça de uma criança. Sentia vontade de ver homens pelados, como eu acredito que as crianças heteros sentem vontade de ver peitos e revistas de mulheres peladas escondido. Lembro bem da revista de homens nus que minha empregada tinha, eu já estava com 8 anos, e devorava cada foto da mesma. Qual a conclusão? Eu era uma criança gay! Nada mudaria essa verdade. Muito menos um blog que falasse sobre a felicidade de ser hetero, ou algo assim. Claro, pois se o meu blog, que trata de assuntos referentes ao universo gay, pode transformar uma criança, teoricamente, sem sexo, em gay, eu deveria ser influenciado o inverso. É ridículo querer desmoralizar um movimento, super importante, que deve ser lançado com a maior urgência -o esclarecimento da condição gay às crianças gays- falando que as crianças têm que ser deixadas de fora desse assunto.

Nossa,  como eu precisava, na minha infância, de algum tipo de contato com essa realidade. Eu precisava saber que tudo iria acabar bem. Mas eu não sabia. O assunto sempre foi proibido na presença de crianças, e ainda é. Quer coisa mais absurda do que isso? Condenar todas as crianças gays ao silêncio sobre a homossexualidade. Obrigá-las a aprender como se portar, como agir, como sobreviver, sozinhas. Proibir o acesso de crianças ao tema é de um egoísmo e de uma crueldade absurda. O medo infundado da sociedade de transformar mais uma criança hetero em gay justifica qualquer barbaridade? Barbaridade sim! Chamar de quê essa atitude de isolar toda criança, e o pior, ficar atochando na cabecinha delas todo tipo de preconceito para, supostamente, não influenciá-las a se tornarem gays. O que pode haver de tão ruim assim? Não faz o menor sentido isso. É uma pena mesmo, que não se aprenda a respeitar o que é diferente na escola, é uma pena eu ter que escrever algo tão óbvio, é uma pena começar mais um ano tendo que me explicar mais uma vez, é uma pena que muitas crianças gays irão se matar por não conseguirem suportar tanta crueldade que, em nome de todas as crianças, lhes é imposta. Vamos acordar, pais, mães, heteros, e enxergar que é muito mais natural entender cada tipo de criança separadamente, entender que a criança gay precisa de cuidado especial, precisa de apoio, se sentir segura, e principalmente, ser amada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
This entry was posted in amor, assumir, gay, homofobia, igreja, ódio, Pensamentos, preconceito, religião. Bookmark the permalink.

55 Responses to Criança gay não é como Papai Noel: EXISTE!

  1. Anonymous says:

    O conteúdo do seu blog, é muito pertinente, uma leitura além de ser bastante informativa é algo leve de fácil entendimento. Desde já o parabenizo por isso. Mas não conseguir ler suas postagens no blog, mas sim, na pagina da omeghits. Gostaria de saber si a pagina ta com algum problema, pois a única postagem acessivel é o de "crianças gays".Um forte abraço,meu contato: apenastimidez@yahoo.com.br

  2. FOXX says:

    concordo plenamente e aplaudo!

  3. Samuel Dias says:

    Triste saber que sua linda e confortante mensagem de natal gerou tanta polêmica e sentimentos homofóbicos. Mas ainda assim, comece o ano de cabeça erguida, por pior que seja a situação hoje, o mundo está mudando, e um dia todo esse lixo de preconceito terá diminuído consideravelmente. E sua ajuda terá sido muito importante nesse processo.
    Um 2011 iluminado e aquecido no coração.

  4. Anonymous says:

    Eu tenho 15 anos e passo por tudo isso que o senhor postou. É tudo muito difícil. Eu ainda não me assumi pra ninguém, pois não encontrei ninguém que me apoiasse. A todo o instante eu ouço alguma crítica aos gays e isso me machuca muito, porque a gente não escolhe ser gay, a gente sente. É involuntário. Mas acho que eles nunca vão entender.É muito triste sofrer sozinho. Desde cedo eu me sentia diferente dos demais, mas não conseguia identificar o que era. Depois, fui percebendo que eu achava homens atraentes, mas achava que no fundo tudo isso ia passar. Mas agora, eu entendo a situação em que eu estou, porque eu me apaixonei pelo meu melhor amigo e isso está me fazendo sofrer mais ainda, porque eu me sinto muito só, amando uma pessoa que confia em mim e que se souber que eu sou gay, nunca mais irá falar comigo. Eu não falo isso por palpite, mas porque ele mesmo me disse que se tivesse um amigo gay, ele não o consideraria mais como amigo.Eu penso em suicídio. Eu não faço isso porque é uma covardia e pessoas como você me dá forças para seguir em frente, mesmo que em segredo.Muito obrigado. =D

  5. Anonymous says:

    Até hoje eu não me conformo com a sabedoria hétero: "Ser homossexual é uma opção". Como pode ser uma opção se não escolhemos ser assim?Como podem julgar, lançar esses comentários que fogem a seu próprio entendimento, por não vivenciar essa orientação homo.
    Vc tocou num ponto muito importante quando ao esclarecimento à criança Gay. Meu Deus, se eu tivesse esse tipo de esclarecimento, eu, com certeza, teria sido uma criança e um adulto feliz, certo que eu não era um "Et", por sentir atração por homens. Resultado disso, foi que até hoje, aos 50 anos, resido do armário. Fechado e sem condições para aceitar numa boa um relacionamento saudável, porque foi tanto lixo que deixei entrar na minha cabeça, que não consigo tirar de uma hora pra outra. Passei a vida toda tentando me "curar" dessa homossexualidade, pensando que isso era uma doença. Não me curei e nem cheguei perto. A atração sempre esteve presente. Perdi muito tempo achando que tudo isso era pecado, errado etc… Incontáveis vezes eu chorei escondido quando me vinha à mente que eu era um "viado". Que culpa eu tinha de sentir atraido por Homens e não por Mulheres?
    Bom, acredito que isso um dia irá acabar. Tomara que eu ainda esteja vivo para comemorar.
    Obrigado pelo Post. Parabéns!

  6. Renata J says:

    Quando eu tinha 3 ou 4 anos minha professora do Jardim chamou meus pais e disse a eles que eu tinha tendências homossexuais, pois só gostava de brincar com os meninos… O máximo que eles conseguiram foi fazer com que eu não virasse nem bofinho nem uma grande jogadora de futebol. rs
    Brincadeiras à parte, vejo com frequencia crianças que facilmente percebemos que "serão" homossexuais ao despertar da sexualidade. E isso só prova o quanto a mesma é NATURAL!

  7. BsVoxx says:

    Eu também tenho lembranças de uma infancia gay e das milhares de opressões que sofria com receitas magicas de não ser gay … Eu sempre me aliviava quando via na TV, naqueles programas de auditorios gays de verdade, gente como qualquer outra … Concordo que a questão tenha q ser tratada com naturalidade nas escolas e em todos os ambientes.

  8. Papai Gay says:

    Anônimos queridos, o que posso dizer para vocês? HUmmm. Primeiro ao meu querido cinquentão no armário. Você já fez toda a reflexão que precisava. Não está velho o suficiente para desistir de viver tudo que não aproveitou do mundo gay. A vida passa, é claro, mas acredito que você deve ter feito muita coisa produtiva. Enfrente seus medos de uma vez, você não é mais dependente, aposto, e paga suas contas, viva sua homossexualidade daqui pra frente, foda-se a opinião que você tem disso, e se ame. Quanto ao adolescente de 15 anos que ainda não se sentiu à vontade para assumir para ninguém, mas que sabe que é gay, como a maioria de nós sempre sabemos, aconselho a aguentar firme, jamais pensar em suicídio, pois as coisas VÃO melhorar com certeza. Com 18 anos você vira dono do seu nariz arruma um emprego e vai viver a sua vida sem paranóias. Quanto ao amigo… Acho que pelo que ele falou sobre gays é melhor mesmo deixar ele sem saber, desencana… Paixonite por melhores amigos na infância passa, eu mesmo tive uma, foi platônica e está guardada como uma boa lembrança apenas. Te garanto que outras paixões surgirão no seu devido tempo. Expanda seu ciclo de amigos, se aproxime de pessoas que são abertamente a favor de defender as causas homossexuais, isso vai te ajudar. Não é impossível guardar este segredo, eu mesmo guardei até fazer 18 anos, quando contei para o meu pai. Ele praticamente fez uma lavagem cerebral em mim que resultou em um casamento de 10 anos… Mas não tem jeito, qwuando chega a hora, você detona tudo. Cada um tem a sua história, não vê o anônimo acima de 50 anos ainda lutando com isso. Pois, foi depois de uma conversa pela net com um avô de 60 anos que eu decidi que iria me assumir, não queria que isso acontecesse comigo. Não se deprima 50ão, mas que o prospecto de imaginar viver na mentira até a sua idade não é nada atraente, isso não é. Mas também não deve ser um problemaço. Vai a luta. Se apaixone e viva feliz.

  9. ATÉ EU says:

    Vc tocou na ferida da questão, papai gay! O problema é que temos a devida informação de como lidar com a homossexualidade apenas quando buscamos entendê-la. Ou seja, com isso perdemos nossa infância…
    Pra mim foi tão importante descobrir a literatura homossexual, saber que existe um movimento cultural por trás de todo esse lixo homofóbico. Que pessoas perdem tempo e esforços (se é que podemos chamar de perda) para acolhimento de jovens que assim como eu, foram moldados por mentes perigosas de religiosos. Que por trás de toda essa escuridão existe vida, digna! Sim, que existe gay digno! E foi muito importante saber que sinônimo de GAY não é PROMISCUIDADE!
    Muito Obrg pelo blog.

  10. gay sex machine says:

    Por muito tempo segui uma denominação religiosa muito rigorosa. Nõa tenho a reclamar e vive ali muitos anos de dedicação e serviço dos quais não me arrependo. A deixei por dentro de mim existir um desejo tremendo de me sentir realizado amorosamente. Desde criança sinto atração por pessoas do meu sexo. Quando tenho minhas memórias mais remotas, lembro dos meus amiguinho que me apaixonei. Foi muito difícil conviver com esse desejo escondido dentro de mim. Foi preciso passar 31 anos da minha vida pra decidir seguir esse meu desejo. A partir do momento que eu decidi me aceiter como homossexual consegui sentir uma alegria muito grande. Agora sinto que me amo. A solidão que sempre me acompanhava já não existe mais. Quando contei pra minha mãe, A única pessoa que acho que devo explicação, ficou muito triste, mas viu que ser gay não é sinônimo de promiscuidade, em pouquíssimo tempo me aceitou como sou. Hoje tenho um namorado que amo -e sinto ser racíproco- e qu eme apoia em todos os momentos de minha vida.Estamos juntos há dois anos. São pessoas como você que fazem a diferença no mundo. Com atitudes como asua a humanidade deixará de ser preconceituosa e se importerá com coisas importantes, esquecendo a opção sexual de outros. Aos que sofrem as dores da homofobia, ânimo. Juntos poderemos mudar esse quadro.Abraço a todos.

  11. Cara Comum says:

    Aê!! É isso que precisa ser dito!! Que o preconceito não pode impedir o direito à dignidade! Abração!

  12. Madre Madalena da Sa says:

    Papai GaySou uma irmã aberta a verdade e ao respeito. Parabéns pelo seu blog.Santo Ósculo em seu coração!

  13. Paulo says:

    Olá Mau Couti! Pelo jeito o ano começa meio ruim para nós glbts. Está quase certo o arquivamento do PLC122/06. Deixaram de "molho" tanto tempo que agora o senado vai arquivar tudo que é projeto de 2006.Claro que tem manobra aí,como ele não poderia escapar da avaliação do senado aí acharam um meio de arquivar tudo que vem de 2006. Com a Marta eleita senadora e criadora do projeto, os dirigentes do senado trataram de propor logo o arquivamento para a mulher não levar a diante e brigar pela aprovação dele no senado. Você já leu algo sobre esta recente notícia?Obs.; Quanto ao seu texto; muito bom, esclarecedor. Dá para ver pelas respostas dos leitores mais jovens.Abraço!

  14. Paulo says:

    Oi Mau, me equivoquei ao afirmar no meu post anterior que o projeto da plc era da Marta Suplicy, não ele é da deputada Iara Bernardi; a Marta prometeu que levaria adiante se fosse eleita senadora.

  15. Anonymous says:

    Falo e disse! concordo com tudo!

  16. Marco says:

    É óbvio que há crianças gays mas que, assim como as crianças heteros, só vão despertar para a a sexualidade mais a frente – às portas da adolescência. Quando tomarem essa consciência vão olhar para trás e perceber que já tinham essa característica desde a mais tenra idade.Não sei se ao falar diretamente a elas a mensagem chegará realmente. Talvez elas não cheguem até este espaço. Provavelmente nem sabem ainda o que é ser gay, então nem saberão que são/serão gays.Importante é que pais percebam essa realidade e, ao invés de tentar "corrigir", saibam apoiar e preparar o filo para as dificuldades que enfrentarão. E mesmo os pais de filhos heteros devem saber educa-los numa orientação de respeito e tolerância.De qualquer forma, parabéns pela iniciativa e pela fomentação do debate.Abs.

  17. Papai Gay says:

    Marco, engano seu, muito antes da adolescência eu já tinha CERTEZA que era gay.

  18. Paulo says:

    Também eu desde os 7 anos já olhava para os meninos de forma diferente, sentia atração. Na adolescência com o despertar dos hormônios vi que o que eu sentia lá na fase de criança se afirmava. Por isto existe criança gay sim! Eu fui uma delas!

  19. Washington says:

    Cara, interessante sua postagem, mas ela não se aplica a mim. Embora a sexualidade seja parte integrante da nossa personalidade, interesse por sexo, ver homem ou mulher pelada nunca fizeram parte do meu universo infantil. Já tive uma namoradinha chamada Patrícia, mas era uma coisa tão platônica que nem posso chamar isso de namoro. Era um menino igual aos outros, que gostava de brincar de bola na rua (sim, sou do interior!), fazer minhas maldades com meus irmãos mais novos, mas só. Não tinha interesse em sexo. Claro, cada um tem sua vivência; conheço amigos que tiveram uma experiência semalhante à sua. Mas fui um garoto muito assexuada e infantil (até os 12 anos acreditei em Papai Noel, prá você ter uma ideia). Meus pais, discretos prá caramba, se acaraciavam mas não lembro de beijarem na minha frente. Sabia que eles "namoravam" no quarto, mas nunca me metia lá, pois era espaço deles. E não acho que minha infância/pré-adolescência foi ruim. Hoje fico vendo pré-adolescentes apaixonados, sofrendo de amor; aqui na minha cidade um casal de adolescentes de 13 anos (menina X menino) tentou suicídio pois a mãe de um deles não permitia o namorico. Quando se fala em direitos sexuais, sempre lembro que também é direito sexual respeitar a precocidade sexual de crianças e adolescentes. Querer que eles tenham uma atitude e postura voltada pro sexo em corpos incompletos ainda, fico triste. Se não, por que também não liberamos o trabalho infantil?Com disse lá em cima, não me recordo de sentir atração sexual por meninas e meninos na fase infantil. Só na adolescência que passei a ter interesse por meninas. E me achava hétero. Até que aos 21 anos tive uma experiência de beijar um homem e vi que também tinha possibilidade de gostar de pessoas: comecei a me sentir bissexual, mas isso ainda é meio confuso comigo. Será que as pessoas já nascem programadas prá ser alguma coisa? Tenho minhas dúvidas… Gosto daquela visão que diz que a sexualidade é ampla, que fatores internos (psicológicos, neurológicos) e externos (sócio-ambientais) nós contribuem de alguma forma para a nossa sexualidade. Não existe somente uma única forma de viver a sexualidade. Falamos de pessoas, indivíduos, cada um com a sua vivência. A sexualidade não é a 4ª Lei de Newton. Como dizem: ” estrada da vida e da sexualidade nem sempre é em via de mão única”.Como disse, mesmo discordando, me senti acolhido aqui neste blog, talvez pela forma como escreve, pelos comentários. Por isso, resolver comentar também.Um 2011 cheio de realizações prá você para seus leitores.

  20. Anonymous says:

    Papai,em uns posts atrás você defendia que todo gay famoso deve sair do armário. Dá uma lida nesta notícia quando puder, ela explica direitinho porque gays do meio artístico não assumem: http://mixbrasil.uol.com.br/cultura-gls/televisao…. Depois diga o que achou.

  21. Papai Gay says:

    Washington, se descobrir homossexual aps 21 anos é pra lá de exceção. Na minha opinião chega a ser quase uma alienação, uma total falta de auto conhecimento. Porém, compreensível. Como disse você, nem seus pais te expunham aos afetos naturais de um casal. Hoje existe a internet e não adianta tentar infantilizar pela falta de informação. Você falou a maior besteira ao comparar a educação sexual que eu proponho com a liberação do trabalho infantil. Nunca falei que as crianças devem sair por ai fazendo sexo. Acho apenas que subestimá-las achando que não fazem é que está errado. De qualquer forma agradeço seu depoimento.

  22. Piettro Pimenta says:

    Ninguém se transforma em Gay de uma hora para outra… é Condição, já nascemos gente, da gente…não é uma Opção! Ou você acha que eu escolheriamos passar por todas as dificuldades só para sermos diferentes. Aproveitando para Deixar um Blog também muito legal… Acho que a galera aqui e vc irá gostar… ai vai minha dica> <a href="http://sexoamoreviadagens.blogspot.comhttp://sexoamoreviadagens.blogspot.com<br />espero que vcs gostem. beijos E Continue com seu ótimo texto. Fui.

  23. Meu Maior Projeto: S says:

    Oi papai Gay, acabei de conhecer seu blog atraída pelo tema: crianças gays existem. A-DO-RE-I.Fui uma criança gay e estou rindo até agora com as minhas lembranças. Me apaixonava pelas professoras e amiguinhas, adorava ver mulheres nuas na TV ou em revistas. Minha barbie era namorada da barbie da minha prima e quando contei para minha prima sobre a minha homossexualidade ela (que hoje tem esquisofrenia) respondeu simplesmente: Aé, vc assumiu seu lado pra mulheres e ei assumi meu lado para os homens e rimos muito.Acho que ninguém nunca desconfiou na época por eu ser tão menininha, brincar de casinha, de boneca. Mas a minha mãe disse que sempre soube apesar do meu jeito que era diferente, completou dizendo que mães conhecem seus filhos mais do que ninguém.Então se mães e pais conhecem os filhos mais todo mundo, ajude-os a não sofrer.Minha adolescência é que foi mais conturbada dentro de mim porque passei 8 anos dentro de uma igreja pedindo cura achando que estava doente. Hoje dou risada de tudo isso. Saí da igreja porque ela não me aceitava como sou, me assumi, beijei uma mulher pela primeira vez prestes a completar 22 anos e me senti a mulher mais feliz e realizada do mundo.Hoje sou casada com uma esposa maravilhosa e planejamos filhos daqui um tempinho.Sou muito muito feliz e realizada assumindo quem eu sou, sou mulher, sou digna de amor e amada por Deus que me fez assim.Bjos e venha conhecer meu blog também.

  24. Ricardo Aguieiras says:

    Papai Gay, mais uma vez, parabéns pelo post e por tocar num tema tão delicado, com a sua já conhecida coragem. Minha resposta vai para o Washington, especificamente, mas também para todo e todas ,m aqui, por que ninguém tocou nesse ponto, ainda.O Estatudo da Criança e do Adolescente trouxe muitas coisas legais, mas veio na esteira horrível do politicamente correto, que IMPEDE algumas discussões. Devido a isso, hoje, muitas pessoas têm medo de discutir a sexualidade infantil e serem acusadas de "pedófilas".Hoje, até mesmo cientistas e psicanalistas não falam mais do assunto, sob medo das reações da nossa sociedade conservadora e familista.No entanto, sabe-se muito bem e comprovadamente que até fetos já possuem sexualidade, há fotos de fetos masculinos de pênis ereto, por exemplo. Sexualidade existe desde a concepção e do nosso primeiro momento vivo. É a vida!Mas não querem essa discussão. Como você, eu também me vejo gay desde criancinha, adorava quando tios ou mesmo meu pai me pegava no colo e via meu pai tomar banho pelo buraco da fechadura, ficando muito excitado. Quem quiser me chamar de "doente" aqui, esteja à vontade, mas aviso que a ciência prova o contrário. No entanto, como sempre fui rebelde, peitei o machista do meu pai desde meus l3 anos, quando assumi ( ele não me aceita nem me respeita até hoje… azar o dele! ); me internaram numa clinica psiquiátrica e tomei com essa idade psicotrópicos e choques elétricos no pau, numa horrenda terapia behaviorista ( comportamental) chamada "Terapia da Conversão".Toda a vez que se impede uma discussão, seja pela desculpa que for, o mundo e os avanços saem perdendo feio. Uma vez uma conceituada psicanalista me disse que achava totalmente correto e natural que crianças da mesma idade explorem suas sexualidades e curiosidades e até transem entre elas. Não há problema nenhum nisso, problema há quando adultos e pais tentam reprimir essa sexualidade, começa aí os preconceitos e a infelicidade. Nossa sociedade heterossexista e conservadora odeia o prazer e, cristianamente o associa à culpa, que muitos e muitas carregam por toda a vida. Mesmo entre gays e lésbicas adult@s vejo essa busca da heteronormatividade, reproduzem papéis aprendidos com a família. Acham que têm posse sobre o outro e acabam danificando o Amor, com o ciúme. Triste tudo isso. Sem tantas repressões e controle as pessoas seriam bem mais felizes.Ricardoaguieiras2002@yahoo.com.br

  25. Vine says:

    Eu sabia q era gay desde pequeno, brincava de coisas erradas com meu primo aos 5, kkk!Desde pequeno aprendo coisas q os heteros vão demorar anos pra descobrir… e como vc disse em outro post fiquei mais forte por isso.Tenho 16 e ninguém sabe sobre mim, mas a hora não esta longe, eu simplesmente quero ser feliz, e ja me convenci de q Deus me fez assim, somente sentindo na pele pra saber a verdade!Falando nisso Mau o BBB11 tem um travesti e 2 gays dessa vez, vc deve não querer mais ver isto mas quem sabe nossa sorte muda… :)abraço

  26. Washington says:

    Fala, cara, obrigado por responder. Na realidade eu queria seguir seu blog mas não estou conseguindo abrir a janela de seguidores. Deve ser um problema da Google mesmo.Mas vamos lá: não me considero homossexual, mas bissexual. Em alguns momentos me sinto mais atraído por mulheres, outros, homens… Não tenho controle sobre a situação. Bem, o que eu seria? Não gosto muito dessa coisa de catalogar as pessoas. Mas, enfim…Acho importante que se discuta a questão do respeito à diversidade sexual e a tolerância nas escolas. Nos livros de ciências do ensino fundamental, por exemplo, já encontra-se presente conceitos como homossexualidade, bissexualidade, entre outros.Agora, talvez não expliquei bem, mas sou contra essa sexualização de crianças e adolescentes que ocorre no nosso país, ou melhor, essa adultização dos nossos menores. Hoje um adolescente consegue comprar bebida alcólica com a maior facilidade, entra em estabelecimentos noturnos sem acontecer nada com seus responsáveis, dirige o carro do papai, além de acessar conteúdos pornográficos no computador que fica no quarto do "filhão" (claro, porque "papy" e "mamy" não querem ser incomodados). Sei não, neste aspecto sou bem pessimista com a geração atual. Claro, faço meu papel de cidadão e sempre quando eu vejo um direito de uma criança ou adolescente ser violado, faço minha parte denunciando.Vou postar um link do psicólogo (e gay assumido) Fabrício Viana que vai de encontro com tudo que penso sobre sexualidade: http://homossexualidade.net/sobre-homossexualismo…Um abraço prá você e um ótimo final de semana. [:)]

  27. Anonymous says:

    em prol do arquivamente da denúncia feita contra o adolescente Wesley Almeida Campos, 18 anosLink para assinar a petição e partilhá-la:http://tinyurl.com/2ugou4lNão há vírus no link, eu mesmo o criei.Reitero que este abaixo assinado é URGENTE, pois se o caso contra Wesley andar no MP, ele será denunciado por ESTUPRO DE VULNERÁVEL. E isso não é apenas injusto, é uma aberração jurídica!O caso em si tem forte teor homofóbico, uma vez que é EVIDENTE E INDISCUTÍVEL que os dois garotos só foram detidos por se tratar de uma relação homossexual. No mesmo shopping, é possível ver mulheres de 12, 13 anos, com homens de até mais de 20 anos.Partilhem o link, vamos coletar milhares de assinaturas para acabar com este caso revoltante!Espero honestamente que Wesley processe o Datena, pois Datena o expôs no programa como PEDÓFILO. E não adianta não haver vídeo que prove isso, pois há testemunhas, e eu sou uma delas.Peço que não apenas assinem, mas também divulguem.Creditos:Alexey

    • Diego says:

      Só há pedofilia antes da puberdade! Pedófilo é adulto ou adolescente que sente atração sexual por crianças pré-púberes.

      Estão infantilizando os adolescentes!

      É incrível ver conservadores atacarem o próprio cristianismo.

      Maria, mãe de Jesus, foi desposada com 12-14 anos pelo quarentão José!

      Davi com 14 anos enfrentou Golias.

      Salomão foi rei com 12 anos.

      Para Deus, adolescentes não são crianças.

  28. Na Real says:

    É triste vivermos numa sociedade incapaz de aceitar as pessoas como são. Ela tem que parar e pensar nas consequências na vida dos que sofrem esses preconceitos. Desde criança passamos pela triste e desesperadora experiência do bulling. Acredito que a maioria descobre sua opção sexual desde cedo. Não fosse por isso não veríamos tantas matérias na mídia de crianças e adolescentes envolvidas com drogas ou tentendo sesuicidarem porque as pessoas com quem convivem não as aceitam como são. Todos têm que entender que o fato de uma pessoa gostar de outra do mesmo sexo nãoé motivo de afastá-las do convívio. Sou grato por existirem pessoas como você para orientar e dar apoio a todos que passam tantas dificudades, muitas vezes sem ter um amigo verdadeiro ou a aceitação da família nessas fases tão difíceis da vida.

  29. Junior says:

    "Eu sabia q era gay desde pequeno, brincava de coisas erradas com meu primo aos 5, kkk!" Morri de rir com seu comentário Vine! O interessante é que o meu caso foi paradoxalmente similar…. o.OTipo, desde sempre brincava com os meus amigOs… brincávamos pelados.. com 5, 6 anos… sempre fazíamos tudo escondido, mas todos estavam ali por livre e espontânea vontade… hoje me indago se fui eu o "cabeça/mandante" daquelas brincadeiras todas… não sei… mas como já disse lembro-me que todos estavam muito satisfeitos porque compartilhavam suas ereções… Aos 14 anos mudei-me pra um apê ao lado de um pequeno estádio de futebol… e imaginem só que a janela do vestiário dava direto pras janelas da minha casa… tinha achado mais um ótimo passa tempo, assistir (escondido, pelo cantinho da janela) todos aqueles homens maravilhosos tomarem banho depois do treino da tarde… quando eu via a luz do vestiário acesa, um calor desconhecido subia por todo meu corpo e eu ficava de plantão escondido na janela…Aí que o paradoxo ocorre, até meus 16 anos eu não me entendia gay… creio que essa ignorância acerca de mim mesmo foi gerada pela criação muito oprimida pela religião e pela falta de informação que havia naquele tempo… a estratégia que meus pais usaram (não sei se consciente ou não)foi deixar 1 livro de educação sexual no meio de outros livros na estante do meu quarto… apesar de sempre gostar de estudar o capítulo sobre o corpo do homem e nunca ter sentido nenhum prazer ou reação quando achei as playboys escondidas do meu pai, ainda assim, eu não tinha nenhum conceito formado sobre hétero/homo/bi/etc-sexualidade.O que lembro que foi marcante na minha vida é que não tinha tato pra "ficar" com as meninas… sempre levava foras quando tentava alguma coisa… Tentava ficar com as meninas pq sentia uma pressão da sociedade… parecia que falar de mulheres e contar sobre as "ficadas" era a coisa mais normal do mundo… resultado, sentia-me muito oprimido, sozinho e tinha que inventar mentiras e namoradas imaginárias de outras cidades para que eu não ficasse tão mau diante dos meus amigos de escola… e assim foi… o interessante foi que somente aos 16 anos que eu parei e percebi que uma guerra estava sendo travada dentro do meu peito… foi muito rápido… e eu pensei pra mim mesmo: "acho que sou gay" … continuei tentando viver naquele modelo de vida mentirosa e oprimida… tentando conseguir um álibi através das meninas, até das mais estigmatizadas, aquelas que são super encalhadas, … mas NADA, só conseguia mais e mais tocos e meu desespero foi aumentando… aos 18 anos já não conseguia mais dormir, ficava noites e noites em claro perguntando a Deus pq ele tinha me criado assim? Era pra sofrer? pra ser testado? pra que?… resolvi desencanar… coloquei meus estudos e vida profissional como prioridades na minha vida, e mulheres (pft..) lancei pra última posição da minha lista… O mau estar continuava… Graças à Deus nunca pensei em suicídio, exatamente pq sou muito espiritualizado… temos missões a completar em nossa vida, e acho que por ter entendido minha homossexualidade como uma missão na minha vida, tive coragem e forças suficientes pra continuar seguindo em frente! Afinal de contas, nós gays somos MUITO MAIS MACHOS do que qualquer hétero caminhoneiro barrigudo que enche a cara de cerveja e fica virando pescoço pra qualquer baranga que passa pela rua! [continua...]

  30. Junior says:

    [ ...] O mau estar continuava… Graças à Deus nunca pensei em suicídio, exatamente pq sou muito espiritualizado… temos missões a completar em nossa vida, e acho que por ter entendido minha homossexualidade como uma missão na minha vida, tive coragem e forças suficientes pra continuar seguindo em frente! Afinal de contas, nós gays somos MUITO MAIS MACHOS do que qualquer hétero caminhoneiro barrigudo que enche a cara de cerveja e fica virando pescoço pra qualquer baranga que passa pela rua!Resolvi fazer uma lista de pessoas pra quem eu precisava contar esse meu segredo, precisava desabafar pq de alguma forma pressentia que eu ia me sentir melhor. Comecei pelas amigas mais próximas do colégio que não tinham contato com meu círculo familiar… demorei umas 3 horas pra contar pra a primeira amiga da lista… passei mau diante dela, suei frio, fiquei pálido… depois de muito sofrer já tinha ido longe demais e não podia recuar… (nem me lembro como falei) só lembro que foi como ter vomitado uma pedra de granito…. ela olhou pra mim começou a rir e disse: "Eu já sabia!" (xinguei ela de tudo quanto é nome! =D) mas agradeci muito pq realmente eu já me sentia outra pessoa: mais leve, mais real, mais feliz. Lutei pra continuar repetindo esse ato de liberação… o meu maior inimigo era meu pensamento super negativista, que sempre imaginava as piores reações possíveis (creio que a maioria pensa assim)… Continuei vivendo com essa "side-quest" [perdão por não encontrar expressão similar no português] até chegar no grupo mais importante: família. Fui BV até os 19 anos (quando beijei o primeiro homem numa boate).Dou graças a Deus por ter uma família maravilhosa que destruiu todo e qualquer tipo de sentimento negativista que eu tinha e me aceitou instantaneamente, pq afinal de contas, eu continuava a ser a mesma pessoa de sempre, só que agora muito mais feliz por não viver escondido atrás de mentiras!Sinto pena do meu pai por não querer me ouvir… (ele já deixou bem claro isso) o paradoxo [novamente] é que ele quer se reaproximar de mim e do meu irmão, mas não está aberto pra que eu me apresente na íntegra pra ele por causa de todo o medo que ele carrega consigo advindo de uma geração muito mais retrógrada do que a minha (por isso o entendo e o respeito)…Peço desculpas pelo depoimento tão longo, queria falar algo sobre essa condição que sempre tive comigo acompanhada de uma ignorância sobre ela que me acompanharam por tantas fases importantes da minha vida… espero que com o avanço das tecnologias e a difusão instantânea da informação, as novas gerações possam se descobrir e se entender mais facilmente e mais naturalmente, para não deixarem de viver plenamente suas verdadeiras essências!Muito obrigado por tudo Mau, obrigado pelo espaço tão aconchegante e seguro que você nos oferta!Para os ignorantes e fanáticos de plantão: NASCEMOS ASSIM… A ÚNICA ESCOLHA QUE FAZEMOS É PELO DIREITO A VIDA QUANDO DECIDIMOS SAIR DA ESCURIDÃO E SOLIDÃO DO ARMÁRIO!

  31. Anonymous says:

    Já passei dos 50, tenho 2 filhos, mulher fiel mas distante, pra ter uma ideia não fazemos nada há mais de um ano. Me alivio vendo filmes gays e mirando homens jovens e até mais velhos que eu. Casei virgem de mulher, com elas só namorava. Perdi a virgindade com homem. Não posso nem pensar em assumir, pois a família da minha mulher é preconceituosa e homofóbica, meus filhos foram impregnados de certa maneira, não aceitariam.Na minha fam´lia, temos vários gays. Não penso em separação,pois gosto da minha mulher e apesar de passarmos muito tempo sem sexo, qdo acontece, é sempre bom.Nâo sei se ela sabe que casei virgem, mas conhece meu passado com homens. Assim que casamos me perguntou se tinha tido relação com homem e se tinha gostado, não neguei. Já fizemos bodas, mas acho nossa relação muito pobre. Peço desculpa pelo relato longo, mas pra mim é como desabafo. Agradeço o espaço. Feliz ano novo, e que sua família permaneça unida sempre. Sempre que posso visito seu blog e do seu filho, parabéns pelo seu trabalho e por sua militância.

  32. Papai Gay says:

    Caro anônimo acima, por muito pouco minha vida não foi como a sua… Fui casado 10 anos, me separei ao 30. Acho que você deveria tomar uma atitude. Ficar casado e batendo punheta para homens aos 50 anos é brabo. 50tinha nem é velho, estou com 45 e em pleno vapor. Transar uma vez por ano???? Tá doido! Sei lá. Você não precisa de aprovação dos familiares dela, seus filhos se te amarem vão entender.

  33. Niko says:

    Crianças gays estão por toda parte.O universo homossexual infanto-juvenil é um realidade indescutível.

  34. Fernando says:

    Boa noite camaradas. Eu conferi o blog tudo e as postagems. Mas eu não falo portugues, então vou ficar com dor de cabeza após da letura (sem fazer tradução). Mesmo assim quero fazer o meu comentário aqui. Mas, com licença, vou falar em espanhol. Rsrsrs. Gusté mucho de lo escrito por papai gay, y también de lo que comentaron los demás, y yo también siento que gusté de los chicos desde que estaba en el jardin. Y también pasé por lo de los amores platónicos con amigos de la escuela. Sin embargo, vi muy complicado lo de educar a los niños que aparentemente son gays. Y si nosotros los adultos no equivocamos y no lo es? Pero más allá de eso, el amor de la familia debe estar por delante, sino, tenemos jóvenes menores de 18 que pueden aceptar cualquier cosa de una persona extraña y mala a cambio de un poco de amor. Queramos a nuestros hijos, más allá de lo que ellos elijan para ser feliz. Por cierto, tengo menos de 30 y no tengo hijos.

  35. reyleu says:

    sou novo e sempre achei que era um gay mas vi num livro da escola que dos 5 aos 19 anos nos andamos com pessoas do mesmo sexo mas se conta se a alguem eles começavam a gozar comigo por as vezes eu ponho videos de homossesuxais e fico com como tivesse feito a menstruaçao bjs para todos

  36. LoveDey says:

    Bem ,eu ja passei por issu tb , mas nao doi tanto assim hoje em dia.Tenhu 16 anos e me asumi ,por causa do meu namorado , resolvi contar para meus pais , e para minha familia ,pq decidimos morar juntos um dia .
    Posso lhe afirmar q suicidio nao e a soluçao , esse mundo e injusto … cruel…infelixmente …. mas temos q ser fortes sempre , ate a populaçao ,passar a nos aceitar ,e nos ver como algo comun ,pois afinal ,nao tem nada d anormal em nós .
    Ja chorei mt por causa d preconceito, mas hoje em dia nao choro mais ,penssei em suicidio varias vezes, mas no fim das contas ,percebi ,q minha vida ,e importante d+ pra min joga-la fora , por causa d pessoas atrasadas , sempre soube q um dia eu encontraria alguem ,pq nos tb temos direito q sermos felizes.
    Entao minha dica a vcs é q c cuidem ,pois somos tao normais como qual quer outra pessa, e merecemos ser feliz tanto quanto as mesmas
    Bjin a todos

  37. Tamiza Silva says:

    Sei que é um processo árduo e pensoso(como vc mesmo disse) e que segundo você não é uma OPÇÃO…
    Entretanto, voltemos ao básico e vejamos o seguinte… Se fosse pras pessoas do mesmo sexo se casarem, fazerem sexo e serem felizes para sempre porque elas seriam “inférteis”?!
    Claro que HOJE existe inseminação artificial, ou pra outros, adoção, mas porque seriam GENETICAMENTE FEITOS para não procriar?

    • Papai Gay says:

      Putz Temiza, que bola fora você deu agora. GAYS NÃO SÃO INFÉRTEIS!!! De onde tirou essa besteira. Claro que um casal gay não vai engravidar, por enquanto, sem uma ajudinha, mas a clonagem já é uma realidade. E só porque não é “naturalmente” possível, não quer dizer que seja impossível ou errado. OUTRA COISA, PROCRIAR É UMA PERPETUAÇÃO DA ESPÉCIE, NÃO TEM NADA A VER COM CERTO OU ERRADO. E daí que um casal gay não procria “naturalmente”? Por isso não podem viver juntos? Amar? Putz, é muito preconceito solto!!!

  38. alan camargo says:

    meu filho de seis anos foi pego na escola de baixo da mesa fazendo sexo horal no coleguinha , oque faço ? meu filho é gay ? me ajudem por favor

    • admin says:

      Não faz nada! Vai fazer o que? Bater nele? Tirá-lo do colégio? Culpar a outra criança? Se são duas crianças, não existe um culpado. Talvez sua vida se torne um inferno por causa dos adultos que estão envolvidos nessa história. Criança experimenta as coisas, um mexe nas partes das outras, isso é normal. Só cuide para que seu filho não sofra com a maldade das outras crianças e nem da dos adultos.

  39. José Roberto R. Silva says:

    ola pela primeira vez li estes comentarios achei muito importante todo quer falam, eu sou um rapais de 42 anos que mi casei aos 24 anos e quer já tinha namorado com outros home , mais por medo quer meus pais descobrise ,mi casei hoje aos 42 anos tenho 3 filhos lindos que eu adoro muito2 menina e 1 menino, as meninas 17 15 anos e o menino com 12 anos, tenho certeza que todos 3 sabem que eu sou guey ,nuca falei para eles mais por conta que eu ouso o quer eles falam, em casa ,mais eu inda vivo com a mai deles mais faz 2ano que durmimos separados não temos vida xexual ativa nei eu sinto falta, mais não tenho namorado do xexo masculino ,tenho muita inveja de quem tem, eu vivo so de asistir filmes e mi mastrubar não quero isso para mi mais ,o que eu faço na minha vida ,ja mi deu vontade de ir embora mais penso nos meus filhos …………………………………

  40. Paulo says:

    Olha, eu não sou gay, mas eu concordo com vc Papai Gay, essas crianças precisam de carinho, e tbm eu sempre tive vontade d esperimentar sexo gay, hetero(principalmente) e bisex, eu tenho um amigo q é gay e sofre mto preconceito e eu fico com pena, pois ele precisa d carinho,

    Bom quem falou aqui agora foi,o Paulo,12 anos diretamente pelo 3DS

  41. Anonimo says:

    Meus Deus tenho apenas 12 anos e fico pensando que sou gay , vendo videos de sexo gay na internet , ja falei para alguns amigos quando eu tinha 11 mas eu preciso de ajuda , alguem me ajuda ????

    • admin says:

      Calma, não tem nada de errado em você. Se acha que precisa de ajuda, conta para uma irmã, uma prima, mas alguém em que você realmente confie e que não seja ignorante de achar que você é doente. Ser gay não tem nada de anormal, nem deve ser motivo de desespero. Jamais pense em suicídio, simplesmente tenha calma, procure um centro de ajuda para homossexuais, ou a coordenadoria de diversidade sexual da prefeitura do Rio de Janeiro. Converse com a sua mãe, só não se machuque eu juro que sua vida vai melhorar e MUITO.

  42. kara muito bom este post, no meu blog escrevi sobre homens casados que saem com homens , deu o maior bafafá…recebi cada e-mail cabeludo na minha caixa de entrada…agora quero escrever sobre homossexualidade na infancia…grande abraço adorei seu artigo

  43. Caio says:

    Parece que a história se repete, tenho 16 anos, e desde os 11 sei que sou diferente.
    E cada vez que faço aniversário fico triste, porque sei que está chegando a hora de assumir o que sou, mas tenho muito medo, não tenho mãe ou irmãos, moro com meu pai, que até me aceitaria na boa, mas me sinto péssimo enganando a todos ao meu redor, só queria ser igual aos meus amigos, ter uma vida normal, casar, ter filhos e etc.
    Tenho muito medo de ficar só, de ser rejeitado…
    Me sinto sozinho e perdido, não me aceito e não sei o que fazer, mas sei que não deveria me sentir tão mal por ser gay, afinal é natureza, se a sociedade nos aceitasse melhor acredito que eu também me aceitaria.
    Enfim, não sei como será daqui pra frente, mas sei que a vida vai ser difícil.
    Gostei muito do seu post, tocou em um tema que nunca havia me ocorrido, e que se fosse levado a sério talvez hoje eu, e muitos outros, não sofreriam tanto.
    Abraço,

    • admin says:

      Olha só. Nessa idade a gente dramatiza muito tudo. Não fique com medo de assumir. Se você acha que seu pai vai aceitar, você já estará bem melhor que a maioria. Não tente parecer com seus amigos heteros, faça amigos gays e tente com eles criar uma identidade gay que seja a sua cara. A COISA MELHORA muito com o tempo e você assumindo. Torça para ficar mais velho e independendte, e não fique apreensivo. VAI DAR TUDO CERTO! bjo

  44. Maciel says:

    Descobri-me “diferente” aos 6 anos. Todo mundo comentava, como se eu não soubesse. Solução na época: Copiar como os outros meninos falavam, andavam e gesticulavam. Pronto, todo mundo ficou satisfeito. Ele está curado , pensaram. Eu queria agradar aos meus pais, à Deus, mas tudo tinha limite. Eu pensei(Isso através dos anos) posso tentar não ser visto como guei, mas namorar mulher nunca.
    Eu achava um abuso eu me submeter e enganar uma menina. Quando me perguntavam alguma coisa eu dizia: Não estou namorando, não vou namorar nunca!(mulheres rsrsrsrs). Eu podia não me expressar guei, mas fingir-me hétero jamais.
    Com o tempo fui vendo que eu era afeminado tanto quanto aqueles gueis estereotipados,mas na rua eu mudava minha voz, meu modo de andar. Hoje não posso dizer que me assumi, mas confesso que já fui melhor ator quando é para ser enrustido. É o caminho que estou trilhando.

  45. Tenho 10 anos e gosto de meninos e meninas não sou hétero nem gay sou simplesmente os dois,já namorei garotos da minha idade e garotas diversas e não tenho nenhum preconceito tenho dois primos gays de 15 anos que eu os amo. Eu gostei muito do que o senhor postou nesse Blog (Criança gay não é como Papai Noel: EXISTE!)

  46. ernane says:

    ola adrei o que eu li ,pois quando era criança muitos vião que eu era diferente .cresci achando que era um cara normal ,mas centindo que faltava alguma cooisa em mim .passado o tenpo ,nesse ano fiz uma viagen mito agradavel aonde pude conversar com uma pessoa que pergunto se eu era gay ,na hora relutei pois como ja vinha fazendo .nunca passou pela minha cabeça que seria gay,mas ao conversar com essa pessoa entedi que ela não estava me discriminalizano .foi então quando ela falou que se eu foce gay eu deveria me assumir e que ninguem teria nada harer com isso pois cendo que quem paga minhas contas sou eu, e me mandou refletir .resumindo quando voltei sentei na frente do computador e comecei a olhar em alguns sites e por acaso acebei entrando em um site gay e fui lendo um texto .ao terminar me vi enfrete de abismo foi quando vi a minha vida passar toda a minha frente e percebi que todo o que havia vivido não passava de uma longa farça .pois todo a minha volta via o que eu nã o queria ver por medo de sofrer homofobia,liguei para minha irmã q tenho tamben como melhor amiga ea contei foi quan do ela me surpriendeu dizendo ja havia notado que eu era diferente dos meus dois irmãos ,e que de modo algun iria virar as costas para mim.foi ai que eu finalmente pude me libertar dessa amarras q ja estava me prejudicando mas mesmo assim sofri preconceitos da minha irmã mais velha . mas nen me enportei simplismente estou vindo minha vida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>